segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Começar de Novo…

Um novo ano começou...
Para mim, a sensação só reafirma uma certeza: hoje é apenas um dia posterior a outro! Claro que não vou tirar a poesia e o romantismo do clima que nos envolve, ainda embriagados pelas promessas e esperanças de que tudo pode e irá mudar... Entretanto continuo firme em meu pensamento de que o calendário não promoverá mudanças que não nasçam interiormente e não representem a nossa verdadeira vontade.
É evidente que será sempre uma motivação ou um ponto de partida termos esse marco para começarmos tais mudanças, mas não podemos nos esquecer de que há um longo caminho a ser trilhado nos próximos 364 dias, que exigirá força e determinação contínuas para que as promessas sejam cumpridas.
O que queremos, afinal? Ser pessoas melhores ou ter coisas melhores? Quais são nossas metas e até onde somos capazes de ir para alcançá-las? O tempo corre veloz diante de nossos olhos e, muitas vezes, nem o sentimos por causa da pressa em somar conquistas e aí está um dos fatores que pode nos levar às frustrações... Queremos correr mais velozes que o tempo, lutando contra ele e, algumas vezes, atropelando os nossos próprios passos... Acabamos perdendo o sentido original das nossas lutas e todo o foco; então, quando acordamos, estamos novamente olhando para um ano que passou e tudo o que não realizamos... Recomeçamos o ciclo do desejo/promessas/metas...
Sabemos onde queremos chegar, mas, em algum momento, esquecemo-nos das razões que nos impulsionam assim como das nossas metas e de como chegaremos até elas!
Algumas mudanças não ocorrem sozinhas! Independem de nosso controle ou vontade, pois fazem parte do meio em que vivemos ou da contribuição de outras pessoas e precisam que nos moldemos a elas; contudo, as grandes mudanças são feitas pelas pequenas que ocorrem interiormente, por nosso empenho.
Há uma sensível diferença entre começar um ano novo e contabilizar dias. Contabilizamos quando apenas substituímos um calendário por outro e concebemos isso como mudança! Passamos rapidamente os olhos pelos dias que virão, contando feriados, planejando as próximas festas ou férias, mas esquecendo da ação principal: viver! Como viveremos os dias que virão? O calendário é estático, mas a vida é dinâmica, composta de dias que pedem para serem vividos com atenção para que aprendamos as lições da vida...
Começar um ano novo significa recomeçar, sem reposições, mas aplicando as experiências adquiridas pelos anos passados. Não nos tornamos pessoas novas e diferentes do dia para a noite, tampouco na contagem regressiva para os fogos de artifício. Transformamo-nos gradualmente durante todos os outros dias, vivendo uma vida real, sem efeitos de champanhe ou do espetáculo das sedutoras luzes denominadamente artificiais... Movidos pelo espírito da renovação e pelo valor do aprendizado. Se nada aprendemos, não mudamos... Se não reconhecemos a importância do aprendizado, não evoluímos... E, se não evoluímos não realizamos quaisquer mudanças. Ficamos presos no vácuo do tempo, com olhos fixos no calendário, aguardando, ainda em contagem regressiva, a chegada do próximo marco para que as velhas promessas nos pareçam novas.
Simbolicamente começamos um novo ano, mas o que ficou pendente ontem, ainda pede por soluções! Nada foi apagado ou mudou! Talvez nós tenhamos mudado... Não pelo efeito de algum milagre, mas por termos, finalmente, adquirido a consciência de que as mudanças acontecem todos os dias através de ações efetivas e não de calendários que criam pó e aguardam reposições...
Bom início de ano e que o novo não se limite apenas nele...
Jackie Freitas
“Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.”
*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!