quinta-feira, 2 de junho de 2011

Amiga Blogueir@ da Semana - Denielly Nascimento

Minha Amiga Blogueir@ da Semana é muito querida e especial! Denielly Nascimento ou Deny, como carinhosamente a chamamos, já me presenteou  com sua visita em minha casa, juntamente com seu marido, e quando a vi  pude confirmar todas as boas impressões que eu já tinha de sua pessoa: bonita, inteligente, meiga, alegre, carismática e de uma jovialidade incrível! Não me refiro apenas ao fato dela ser jovem em idade, mas por ter em si, naturalmente,  um espírito igualmente jovem, o que nos faz ficar encantados e contagiados! Em seu blog Rabiscos On Line, Deny  usa e abusa de seus pensamentos e sentimentos, transformando os seus “rabiscos” (como ela, modestamente, chama) em deliciosas leituras! Quando visitamos o seu blog percebemos que dentro dessa menina há uma grande mulher e que ambas vivem pacificamente, em harmonia, com essa metamorfose da vida. E agora ela vive mais uma emocionante experiência e transformação: a gravidez! Daqui a alguns meses, minha amiga querida terá um bebezinho e, tenho certeza, terá muito mais emoções para compartilhar conosco! Nossa identificação com Deny é instantânea, porque, no final,  o que ela quer é o que todos queremos nesta vida: amor, felicidade, paz e um belo lar… Convido a todos para visitá-la e fazer parte de sua história e de seus Rabiscos On Line! Com vocês, Denielly Nascimento em:
Diário de uma garota
Eu bem que estava pensando em algum tema para escrever aqui. A Jackie gentilmente me convidou para rabiscar um pouco em seu blog maravilhoso e eu agradeço imensamente. Hoje pensando na vida, decidi escrever sobre o quanto o tempo passa e como nós nos esquecemos de pequenos detalhes que fazem toda a diferença na vida…”.
É fácil olhar-se no espelho e dizer: eu estou velha! É fácil enxergar as ruguinhas das pessoas e as nossas, sair e comprar cosméticos e mais cosméticos para evitar o tal envelhecimento precoce. Ser antenado na moda, ser um consumista do mundo moderno e entender tudo de internet. Trabalhar feito maluco a fim de obter alguma estabilidade profissional.
Nessa correria do dia-a-dia, todos nós esquecemos que existe um céu azul, um sol brilhante, pássaros cantando por toda parte, a chuva caindo, estrelas enfeitando a noite, pessoas em nossa casa e tudo isso bem ao nosso alcance, basta querer ver. É incrível como essa modernidade nos molda conforme suas necessidades e nós ingenuamente caímos. Pior é que perdemos pedaços de nossa felicidade e de nossa história por conta disso. Pais trabalham tanto que esquecem os próprios filhos, jovens viciados em tecnologia, sequer sabem quem da família está naquele instante em casa.
Eu fui assim até os 17 anos. Não sabia quem entrava ou saía de minha casa. Não ligava se o céu estava azul ou cinzento. Não costumava sequer olhar para as estrelas nas noites românticas com o namorado. Eu curtia estar no MSN, Orkut 24h por dia. Comprar uma roupa bem legal e estar antenada nos cosméticos que mais prometiam. Ter todo mundo em casa e preferir achar que não tinha ninguém.
Até o dia que percebi que isso tudo estava errado. Que por mais jovem que eu fosse, todos os dias eram novos dias e o céu possuía novos tons e novas cores a cada vez que eu olhasse para ele. As nuvens nunca estariam no mesmo lugar, ainda que passasse apenas um segundo. Que um dia eu teria que ir embora daquela casa e ficaria longe daquelas pessoas que eram a minha família, que a internet é ótima e assim como aproxima também tem o poder de distanciar e que, por mais que eu tivesse caído na real, poderia decidir agir tarde demais, também.
Então descobri algo que se chama “verdadeira realidade”. Passei a observar o céu e tirar fotos de paisagens, passei até a tentar saber onde estavam as três Marias no céu, porém eu me esqueci de saber quem estava em minha casa.
Um dia eu precisei ir embora como previa. E hoje vivo a maior parte do tempo sozinha num apartamento. E as pessoas de quem eu nem fazia tanta questão de saber se estavam ou não partilhando o mesmo espaço que eu, hoje me fazem chorar de saudade. Até das brigas eu sinto falta!
Eu ainda posso dizer eu te amo a todos, felizmente, mas eu não posso mais dar aquele abraço de bom dia diário. Não posso mais dormir ou subir as escadas e ver todos reunidos na sala conversando e vendo TV.
Certas coisas passam por nós e só percebemos que passaram quando realmente não tem mais jeito. O duro é que o tempo não volta e o mundo moderno, nessas horas, não está nem aí para você. Por que deixamos que nossa vulnerabilidade humana atrapalhe nossa maneira de viver e nos prive da real felicidade? Isso é errado!
E no fundo nós sabemos que tudo isso está errado. Por que ainda insistimos em...?
É uma pena que para chegar a tal conclusão eu tivesse que sentir na pele a dor da saudade. E até agradeço ser apenas saudade, pois sei que existem casos piores. Bem piores! Que nem um adeus ou o último abraço não foi dado.
Hoje um simples aquário com um único peixe no centro da mesa da sala é suficiente para me fazer companhia grande parte do dia (já que meu marido só está em casa às 21h), e de vez em quando eu me preocupo em olhá-lo e assim sinto a sua companhia também. Tenho um cachorro que é meu amor maior e se ele economiza nos carinhos eu já me sinto diferente. É nessas horas que me lembro daquela casa cheia de gente e... .
O mundo moderno tem seus vícios, manias, novidades, atrações e tudo isso é ótimo, mas nossa vida e as pessoas que dela fazem parte são melhores ainda. Cabe a nós, apenas a cada um de nós, perceber. Estou a construir uma nova família e certamente não cometerei os mesmos erros do passado. Hoje primo pela alegria, companhia, respeito e consideração.
Acredito que só assim a vida faz sentido!
Bem, acho que era isso!
*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!