segunda-feira, 27 de junho de 2011

Minha Morada

Quando penso que estou construindo um novo mundo, percebo que estou apenas me reconstruindo! Um pouco de alegria aqui, tristeza de lá, decepções e gratidão por muitas coisas... Os tijolos que permitem que essa obra inacabada ganhe forma, beleza e presença...
Não tenho a pretensão da majestade ou da opulência, tampouco de uma visão exagerada e faraônica... Desejo simplesmente uma boa morada, que satisfaça a minha simplicidade, que ofereça um lugar calmo e aprazível para recolher o meu cansaço e fortalecer as minhas energias... Um lugar de paz, onde possa repousar meus pensamentos.
Sou eu no meu mundo, contando histórias já contadas; revendo trajetos já percorridos; buscando em cada curva uma nova visão ou, talvez, apenas fazendo uma releitura desse e de todos os mundos. Contando as estrelas no céu para certificar-me se elas ainda estão lá, iluminando as minhas noites, lembrando-me dos caminhos esquecidos...
Enquanto as fórmulas novas não surgem, vou reinventando as que tenho. No final, penso que somos assim mesmo, cíclicos... Talvez nada se crie e apenas se transforme! Não adianta querermos criar uma pessoa nova se convivemos com a velhice de nós mesmos. Não adianta querermos algo diferente se mantivermos os vícios que nos prendem à pessoa que somos, cheias de cacoetes e com raízes fincadas em solos estéreis.
Eu quero um solo novo para construir os alicerces inabaláveis de minha morada. Que ela me receba, em exílio, e me ofereça segurança para contar minhas estrelas... Que eu possa viver todas as minhas estações para contemplar uma idade mais madura, sem mágoas e ressentimentos... Que eu agradeça por isso!
Na minha morada há uma enorme cama para o meu descanso... E, sobre ela, há uma macia colcha de retalhos, feita de pedaços de minha história e fragmentos das muitas histórias que passaram por mim... E é nela que eu repouso feliz, abraçada e envolvida nessas histórias... envolvida em mim mesma... na minha própria história. É nessa morada que vou me recolher, dormir e descansar!
Jackie Freitas
“Meu lar é sempre onde estou; meu lar está na minha mente, meu lar são meus pensamentos, meu lar é pensar as coisas que eu penso. Esse é meu lar. Meu lar não é um lugar material por ai... meu lar está na minha mente.”
*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!