segunda-feira, 11 de julho de 2011

O que é Traição?

Tenho lido ultimamente muitos textos sobre traição. Nada intencional ou proposital, garanto, mas vejo ótimas análises, sob diferentes pontos de vista a respeito de um tema polêmico e que assombra muitas pessoas. Resolvi, então, escrever a minha visão sobre o assunto.
Antes de qualquer coisa é preciso que saibamos separar o joio do trigo. O que é traição? Segundo o dicionário Aurélio, traição é ato ou efeito de trair, ou seja; enganar, ser infiel, desleal... E tem, também, “não cumprir”! OK, todos concordamos com os seus significados, mas eu quero me ater ao: não cumprir.
Normalmente, quando se pensa ou fala em traição, associa-se aos relacionamentos, principalmente nos que envolvem homens e mulheres. Namoro, noivado, casamento... O “não cumprir” representa o descumprimento de algum tipo de acordo que, no caso do casamento acaba sendo a violação dos “deveres” cíveis, morais e religiosos. Entretanto, há pontos aqui que gostaria de refletir.
Claro que não sou defensora da traição ou de traidores, mas acho que é preciso ter uma visão mais lúcida, menos hipócrita e menos possessiva sobre o assunto. A questão que desencadeia os fervorosos debates é que, ainda, a maioria não se conscientizou de que relacionamentos, independentes do nível, não caracterizam propriedade. O ato de relacionar-se com outrem não nos certificam posse ou uso! Essa é uma visão totalmente equivocada e egoísta que retarda a evolução da humanidade. Não quero dizer aqui que os relacionamentos devam se transformar na “Casa da mãe Joana” e que tudo deve ser aceitável. Claro que não! A análise que quero fazer envolve um estágio anterior a esse físico e tão materialista que cerca nossa sociedade. Pensemos como indivíduos, antes de tudo! Não da forma egoísta, onde o prazer ou desejo próprio estejam acima de qualquer coisa. Pensemos como seres que trabalham em prol de um crescimento e evolução individuais, independentes de qualquer ação ou vontade alheia, mas que contribuirão no coletivo!
A traição é um peso que deve ser carregado por quem traiu e nunca por quem foi traído! Há magoas? Sim, somos sensíveis, vulneráveis e quando nos entregamos num relacionamento queremos a fidelidade e segurança do compromisso firmado. Mas traição não pode simplesmente ser traduzida e limitada aos prazeres físicos ou ao sexo em si. Há diversos tipos de traição e que não estão apenas concentrados na relação homem e mulher. Quando alguém revela um segredo, por exemplo, que lhe foi confiado, cometeu uma traição! E por que isso seria menos condenável do que uma fraqueza sexual? A dor de ser traído deve consistir no fato do desrespeito ou na quebra da confiança depositada a uma aliança de sentimentos que consideramos puros e verdadeiros. Por isso é importante saber separar uma coisa da outra!
Quando olhamos ao outro como mera propriedade, estaremos fadados a cometer essa eterna distorção sobre o que seja traição e, pior, quando não temos claro dentro de nós o significado real da traição e o que ela envolve, nos tornamos vítimas de um sentimento que nos transforma em seres amargos e desconfiados para o resto da vida! Traição não está apenas associado ao sexo!
Outra questão para selar essa minha análise é: quem trai, sempre estará traindo a si mesmo e sendo desleal com as suas promessas, suas palavras e intenções... Mesmo que isso envolva os sentimentos ou sonhos de outras pessoas, o ato parte de um indivíduo que, como tal, tem poder sobre suas escolhas! Não nos cabe julgar ou querer castrar uma pessoa assim! Cabe-nos, também pelo poder de decisão e escolha, continuar ou não ao lado de alguém que nos foi desleal! Aceitar uma traição faz parte das muitas escolhas que fazemos na vida, então, é preciso estar preparado para as suas conseqüências. Muitos falarão sobre quando são traídos e não tomam conhecimento, ou seja, quando a mentira e omissão entram no jogo. Repito: quem deve conviver com o peso do ato traição é quem traiu e não quem foi traído!
Por mais que seja difícil sair desse cárcere de culpas e ressentimentos, recomendo que todos façam uma análise profunda sobre isso e que aprendam o que é de fato traição. Não se pode carregar por toda uma vida o medo de se investir num relacionamento pelo pavor da traição. Há pessoas e pessoas e nem todas agem da mesma forma! Somos seres individuais!!! Indivíduos! Temos nossas responsabilidades e é por nossos atos que respondemos, não pelos dos outros! Privar-se de uma vida que pode trazer inúmeras surpresas, por conceitos ou experiências negativas, retarda o processo de crescimento! Quando alguém “não cumpre” com o prometido, perdemos a confiança. E uma relação cujas bases não sejam a confiança, certamente estará comprometida. Por isso, avalie bem e decida o que é melhor para você: conviver com o peso da traição de alguém a quem você não tem o menor poder sobre seus atos ou conviver traindo e ferindo os seus próprios princípios? Como escrevi inicialmente, traição é um peso de quem trai a si mesmo. Se alguém opta em fazer parte desse tipo de traição, então estará sendo tão responsável e traidor quanto o outro!
Enquanto as pessoas não souberem separar o físico e material do espiritual, certamente viverão perambulando no limbo de suas fraquezas. O nível mais elevado da traição é aquele que nos obriga ir contra a saúde espiritual da vida. É quando optamos pela dor e pela cegueira de uma visão mais apurada sobre o nosso propósito de vida. Não se engane! Não se traia! Veja a vida num plano maior e não se limite aos atos alheios! Cada um é responsável por suas escolhas e é assim que nos tornamos donos de nosso destino!
Jackie Freitas
“As pessoas são responsáveis e inocentes em relação ao que acontece com elas, sendo autoras de boa parte de suas escolhas e omissões.”
*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!