domingo, 3 de março de 2013

Sobre Perdas e Ganhos...

Sofremos perdas por toda a vida. Dolorosas, insignificantes, grandiosas, insubstituíveis, irreversíveis, inesquecíveis... Há perdas por todos os lados e não estamos preparados para lidar com elas!
A cada perda, velhas perguntas ressurgem e questionamos sobre justiça e merecimento com o amargor da impotência e frustração. Lutamos por conquistas e vitórias, planejando uma vida perfeita, onde as perdas não têm espaço. Mas elas existem e nos rondam o tempo todo com a difícil missão de lembrar-nos da importância de vivermos intensamente cada momento de nossas vidas e, acima de tudo, com gratidão pelo que temos.
Infelizmente só valorizamos as conquistas quando as perdemos. Entretanto, a boa notícia é que algumas perdas nos trazem de volta a consciência sobre a grandeza da vida e nos devolvem a visão 360 graus, capaz de nos mostrar tudo e todos que nos cercam...

Recentemente tive o meu carro furtado. Confundi frustração com a dor da perda e passei por momentos de profunda tristeza, afinal não é fácil aceitarmos que nos tirem algo que foi obtido com muita luta e suor. Porém, dias depois, meu marido sofreu um acidente e foi parar num hospital. De repente, a perda do carro tornou-se tão insignificante diante da possibilidade da perda de alguém que amo, que passei a agradecer pela vida... E apenas por ela! Até então o ditado “vão-se os anéis e ficam-se os dedos...” nunca me parecera tão real e verdadeiro. Hoje sei, na essência, o seu significado, porque há perdas totalmente substituíveis enquanto outras são irreparáveis!
Graças a Deus perdi o carro, mas não o meu marido! Uma verdadeira barganha!
Sempre digo que nada nos acontece por acaso e, talvez, não vivo este momento turbulento sem alguma razão. Por diversas vezes resmunguei ao ter que pegar o carro para ir a algum lugar. Agora, sem alternativas, acordo mais cedo para pegar um ônibus e ir ao trabalho. As sacolas do supermercado cortam meus braços e minhas mãos, mas acho que é o preço que pago pela consciência e valorização... Quando olhamos a vida num plano maior, percebemos que temos tudo o que precisamos para viver e sermos, na medida do possível, felizes. Na calmaria, nos damos ao luxo das queixas e reclamações, mas quando a tempestade de fato chega é que nos damos conta de que tudo sempre esteve em seu devido lugar... Todos os dias, reclamamos de algo e dificilmente estamos satisfeitos com a vida que temos. Invariavelmente nossas lamúrias estão fundamentadas nas “picuinhas” ou insignificâncias e as perdas nos mostram aquilo que nos esquecemos de valorizar.
Tenho certeza que em cada perda ganhamos algo. É um paradoxo difícil de ser compreendido, mas é através das perdas que resgatamos coisas valiosas e inestimáveis na vida. Nestes momentos o agradecimento se torna fundamental, pois diante das dificuldades nos fortalecemos e vemos que nem tudo está perdido. A essência foi preservada e o que se arranhou foi apenas o casco; portanto, apesar dos pesares, não sofremos perdas irreparáveis.
Sempre temos escolhas e depende delas o modo como viveremos... Podemos continuar lamentando e deixar a vida passar, dolorosamente. Podemos sofrer eternamente e enxergar a vida como um purgatório. Podemos chorar e perder todas as chances de encontrar a alegria. Podemos nos conformar com os problemas, acionar o piloto-automático e deixar que a vida nos leve a qualquer lugar... Mas, como temos o benefício das escolhas, podemos, também, reverter tudo isso! Enxergar algo positivo, mesmo nos momentos mais duros e difíceis, é uma arte!
Sentimos a perda quando algo nos é tirado abruptamente, mas vedamos nossos olhos diante das pequenas perdas diárias e que compõem o espetáculo da vida, por puro comodismo e conformidade! Lamentamos pelo que poderíamos ou deixamos de ter, mas nos esquecemos de agradecer pelo que temos! Reclamamos as injustiças, mas cometemos boa parte delas. Pedimos por uma vida melhor, quando não nos falta saúde, trabalho, comida... Em nossos sonhos, vislumbramos uma vida “perfeita”, mas não a identificamos quando estamos acordados...
O que estou aprendendo com tudo isso? Que independente do tipo de perda que sofremos, algo novo surge e nos traz esperanças. Que as oportunidades nascem, principalmente, diante das dificuldades. Que a vida se renova a todo instante e por mais difícil que seja o nosso momento, algo pior poderia ter acontecido. Que não há vida perfeita até nos darmos conta da própria vida. E, por fim, que a gratidão é a melhor forma de reconhecermos os ganhos diante de determinadas perdas.
Jackie Freitas
"Amadurecer talvez seja descobrir que sofrer algumas perdas é inevitável, mas que não precisamos nos agarrar à dor para justificar nossa existência."
Este texto é dedicado ao meu marido, amor e bússola da minha vida... Muito em breve estaremos juntos, comemorando mais uma das muitas bênçãos que recebemos. Agradeço a Deus por permitir que a minha vida continue perfeita, com você ao meu lado! Te amo!
*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!