domingo, 25 de agosto de 2013

Dançando com o Tempo

As horas passam e eu fico pensando no tempo. Não sei se o perco por não aproveitá-lo melhor ou se, por querer aproveitá-lo, saboreando cada minuto, o deixo passar em vão.
Tento construir ideias, fazer planos e acabo me entregando ao destino. Claro que não renego as minhas responsabilidades e, tampouco cruzo os braços esperando que as coisas simplesmente aconteçam, mas chega um momento da vida em que deixamos de ter tanta pressa e preferimos apenas apreciar a paisagem e ver o que acontece.
Quando nos falam sobre o tempo, principalmente quando somos jovens, não damos importância porque acreditamos que ele seja infinito... Vinícius de Moraes disse em seu inesquecível Soneto de Fidelidade: “que seja infinito enquanto dure...” referindo-se ao amor, mas que pode ser aplicado em nossas vidas como forma de reconhecimento de que os momentos serão sempre passageiros, sobretudo se não compreendermos que todo o segredo está na intensidade com que os vivemos. E, de certa forma, é isso o que tenho tentado fazer; acolher os momentos, vivendo-os com intensidade, sem medos ou culpas!

Acredito na generosidade do tempo, mas percebo que ele não perdoa aqueles que o tratam com descaso. Envelhecemos quando nos prendemos demais às preocupações, contando os segundos que faltam para que os resultados de nossos esforços apareçam. Percebo que quanto mais respostas buscamos, mais ansiosos ficamos e menos tempo encontramos para saborear a vida. É quando as ranhetices da velhice aparecem...
Estou numa fase em que quero apenas entrar num trem, sentar-me na janela e olhar a paisagem passar diante dos meus olhos. Parada, mas em movimento, observando calmamente a vida correr lá fora! De vez em quando precisamos de tranquilidade e tempo para observar o movimento incessante da vida e sabermos em qual estação estamos... Talvez seja hora de desembarcar ou seguir viagem...
Não peço muita coisa além de sabedoria para manter a mente jovem, afinal velhice ou juventude, independente do tempo, tem a ver apenas com o espírito! E o modo como olhamos a vida depende somente do nosso estado de espírito.
Quero saborear a vida, calmamente e sem pressa alguma, mesmo sabendo que o tempo corre... Quero me desprender dos idealismos e viver no meu ritmo, sem dar importância aos julgamentos alheios, porque as regras devem ser minhas e não dos outros!
Nietzsche escreveu uma frase maravilhosa que diz: “E aqueles que foram vistos dançando, foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música.”.
Portanto, aqueles que não forem capazes de dançar conosco, jamais compreenderão o tom de nossa melodia e nem o nosso tempo. Às vezes paramos, mas não significa que deixamos de dançar... Estar parado pode ser apenas uma forma de escutar melhor a própria música!
Jackie Freitas
“Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.”
*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!