domingo, 16 de janeiro de 2011

Ainda Estamos Aqui…

Há mil razões para pensarmos em desistência... Podemos nos desiludir, sermos magoados, enganados ou simplesmente deixarmos de acreditar! Somos seres vulneráveis e suscetíveis, portanto é muito comum perdermos as esperanças quando nos deparamos com situações que não apresentam o resultado que esperávamos. As decepções e mágoas, normalmente são decorrentes daquela velha expectativa que criamos, algumas vezes até em ilusão, ao que os outros possam nos oferecer. Estava aqui pensando na frase chave, que orienta a minha vida, que diz: “as pessoas são o que permitimos que elas sejam...” e isso me faz pensar (novamente) que muitas vezes somos nós mesmos que criamos e alimentamos nossos próprios monstros! Culpar aos outros por nossas frustrações e decepções talvez nos traga algum tipo de conforto, mas lá no fundo sabemos de nossa responsabilidade com relação àquilo que nos acontece... de positivo ou negativo!
Entretanto, o que eu ainda fico pensando é que, independente de expectativas ou frustrações, não podemos nos desviar do caminho que nossa crença nos leva! Não podemos simplesmente desacreditar do mundo, das pessoas ou da própria vida! Assim como nós, muitos estão em busca do bem, da paz e da verdadeira razão da convivência entre os seres! Se deixarmos de acreditar nos outros e, principalmente, em NÓS MESMOS, estaremos dando mais espaço ao vazio que ocupa tantos corações, tantas almas, tantas pobres e perdidas pessoas...
Talvez a graça da vida seja essa mesma: cair, levantar, aprender e prosseguir... E, adiante, ensinarmos ou aprendermos com quem encontrarmos e assim formarmos uma corrente do bem, onde um se preocupa e zela pelo outro! Talvez seja esse o verdadeiro espírito humano....não sei! Talvez seja ainda utopia, mas o que sei é que as decepções podem, por algum momento, tentar desviar-nos do caminho, mas quando acalmamos nosso coração, encontramos a nossa própria verdade e as razões que nos trouxeram até aqui... E é tão bom vermos que apesar de tudo, ainda estamos aqui!
Vou encerrar esse texto com a introdução do belíssimo poema “Mude” do talentoso escritor Edson Marques:
Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade...”

Jackie Freitas
*imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!