sexta-feira, 11 de junho de 2010

Construindo um Relacionamento Maduro

Viver a dois é uma arte! Conviver mais ainda!
Quando conhecemos uma pessoa, ainda no estágio do namoro, enxergamos apenas a produção dos encontros, a roupa bonita, cuidadosamente escolhida para impressionar , o cabelo arrumado, as unhas feitas... Falamos os versos de efeito, recitamos poemas impactantes e dedicamos atenção especial (mesmo quando o assunto não seja interessante) para agradar esse novo alguém!
Relação em evolução e as diferenças começam a aparecer. Inevitável! Não se consegue esconder, omitir ou disfarçar o nosso verdadeiro “eu”. Alguns acham que isso é um problema, mas vejo que é saudável e essencial para o princípio de um relacionamento transparente, verdadeiro e maduro. São as diferenças que fazem a diferença! São elas que moldam o rosto e o corpo da relação. Sempre ouço as pessoas dizerem que os opostos se atraem. Talvez por representarem um desafio, uma busca de equilibrar o que temos de mais ou de menos, melhor ou pior. Porém, para o convívio, essas “oposições” acabam pesando e quase
sempre rendem boas discussões. A questão acaba sendo individual e não consensual. Poucas pessoas, principalmente quando jovens, aceitam abrir mão de suas “verdades” (mesmo sabendo que não existe verdade absoluta) para ceder ao outro o privilégio da razão. Compartilhar gostos opostos só passa a ser possível quando há a compreensão do chamado equilíbrio. Equilibrar diferenças é dosar um pouco de si e do outro, é saber ceder e respeitar as divergências. Aliás, as divergências são excelentes oportunidades para exercitar ponderações e o respeito à opinião do outro!
Há quem diga que não escolhemos o amor. Eu discordo! Sim, somos nós quem o escolhemos. As relações que vivemos ao longo da vida são escolhas nossas. Podem não se tornar o amor verdadeiro, mas são opções ou tentativas de se buscar algum tipo de preenchimento. Afinal, sempre dizem que estamos em busca da nossa metade, o que também questiono, pois uma relação madura não é feita de metades e sim de pessoas inteiras que se doam (por inteiro) para se conseguir atingir um todo.
No casamento o convívio passa a ser um grande desafio, que coloca em prova o amor e nos testa a maior parte do tempo! Os defeitos ficam mais visíveis, as produções diminuem e as palavras antes poéticas, obrigam o surgimento dos diálogos. E é aí que encontro o grande segredo para o relacionamento maduro! Dialogar com o companheiro é um modo de conhecê-lo cada vez melhor, saber de suas preferências e gostos verdadeiros (e não aquele que apenas te agrada ou não contraria). Do mesmo modo, é uma grande oportunidade de se mostrar! As diferenças ganham mais equilíbrio quando há muito diálogo entre o casal. Mas precisa ser sincero, sempre! Por pior que seja, aprenda a expor sempre a verdade! A mentira pode durar mais tempo, mas quando descoberta tem o poder de destruir o que o casal levou tempo (às vezes anos) para construir: confiança mútua! E não há nada pior do que um casal conviver como estranhos e inimigos desconfiados.
Permita crescer ao lado de quem ama! A vida e as pessoas sempre nos ensinam, mesmo quando achamos que já sabemos tudo sobre o outro, acredite, sempre há novidades e surpresas!
Por fim, a melhor maneira de fazer um relacionamento ser maduro é despir-se de preconceitos, falsos moralismos e hipocrisias. É ser verdadeiro e coerente, é respeitar sempre (principalmente nas divergências), manter-se fiel não apenas ao relacionamento, mas consigo. Manter a própria personalidade faz com que o relacionamento tenha vida e dinamismo. Mas lembre-se, são duas pessoas inteiras que não se dividem, apenas moldam e se encaixam.

Jackie Freitas
“Quando nos conhecemos, éramos duas pessoas que se amavam. Agora somos uma pessoa – duas vidas inextricavelmente entrelaçadas e unidas pelo amor.” (Peter Gray)

*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!