terça-feira, 21 de setembro de 2010

Para Falar de Amor…

Para falar de amor não é preciso mais do que sentimento. Sentimentos puros e honestos, que partem de nossa alma e atingem toda a extensão do nosso ser. Para falar de amor, basta ser um tanto humano, com uma dose de anjo; que bate as suas asas não para partir, mas para encontrar lugar seguro e apreciar a maravilha desse grande sentimento.
Não sou anjo, sou mulher. Procurei conhecimentos e não sei se os adquiri, talvez eu seja ainda uma nova programação, um novo modelo de um sistema inteligente, aguardando o implante de órgãos que me façam sentir além do necessário. Sou ainda um esboço, portanto, as minhas falhas são imensas. Sempre há o que consertar e aprimorar.
Não posso ser tocada pelas mãos humanas. Tenho receio que elas me implantem peças defeituosas. O homem ainda não desenvolveu a verdadeira percepção de sua capacidade para amar. Ele ainda recorre aos livros para entender o que é simples e está diante dos seus olhos. Para amar não precisa de muitas peças. Talvez um bom coração baste.
O dia em que esse modelo avançado estiver à disposição humana, quem sabe a máquina programada ensine mais o que a alma não conseguiu enxergar. Para falar de amor, não precisa de muitas palavras, pois elas seriam limitadas e finitas... E o amor é por si só, infinito e grandioso.
Para falar de amor, subo ao céu e desço mais leve e serena. Reconheço a fragilidade de meus companheiros e irmãos, que na ânsia de quererem conquistar elevado sentimento, se perdem em suas próprias razões, desorientam-se de seus passos. Para falar de amor, viro um robô, se preciso for para proferir palavras jamais escutadas e, ditar em tom melódico a harmonia dessa sinfonia.
Para falar de amor, nem humana, nem programada... Apenas semente que planta, nasce e cresce à espera das delicadas mãos de um agricultor, para podar os maus tratos do tempo e permitir florescer a beleza incomparável do amor. Que proliferem pelos campos da vida e invadam os incomunicáveis corações. 
Para falar de amor, me elevei ao sentimento máximo para compreender que somos todos projetos, aguardando uma resolução e um destino. Compadeci-me e retornei, porque para falar de amor é preciso estar aqui, junto a todos, mesmo sem entender a razão. É preciso juntar as peças e montar essa máquina humana, pois ela fora feita com amor. Então, para falar de amor, basta apenas amar... Simplesmente amar!
Jackie Freitas
*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!