terça-feira, 30 de novembro de 2010

Exemplos Que Transformam

Acredito que todos nós nascemos “temperados”! Uma dose de bondade outra de maldade formam nossa essência. No decorrer da vida, utilizamos mais um tempero que o outro. Dizem que aquele que mais “alimentarmos” determinará a nossa personalidade.
A vida e os seus percursos, certamente influenciam e moldam o caráter de cada um e o meio em que se vive terá, também, grande responsabilidade nessa formação. Por regra, acredita-se que “filho de peixe, peixinho é” ou “pau que nasce torto, morre torto”; mas, como regras têm as suas exceções, o que dizer de pessoas que provam exatamente o contrário?
Muitas vezes, pessoas justificam seu comportamento e atitudes, culpando sua criação ou herança genética. Eu, por exemplo, cresci num lar de brigas constantes, presenciei várias cenas de desrespeito (algumas com violência) e isso não fez com que eu fosse mais uma comprovação estatística de má formação pessoal, proveniente de lar instável. Ao contrário, me fez saber exatamente quem e como eu não queria ser!
Sem dúvida alguma, a família é um grande referencial para nossos projetos de vida, mas há o que se discutir quando generalizamos determinados conceitos acerca dessas influências. Viver num lar onde o casamento não foi exemplo de amor e respeito poderia fazer com que eu não cresse em relacionamentos. OK, não acredito em casamento enquanto formalidade ou convenção social. Acredito em compromisso de sentimentos e união, mas que estejam ligados diretamente ao desejo mútuo de ser e fazer feliz, numa cumplicidade que vai além dos papéis ou contratos estabelecidos. E foi esse compromisso que assumi para mim e assim procuro viver.
Não acredito que as pessoas, obrigatoriamente, sejam reflexos ou cópias fiéis daquilo que viveram na infância. Quando somos jovens, fazemos mil planos, temos muitos sonhos... Sabemos quem queremos ser e onde queremos chegar, embora não saibamos como iremos percorrer esse caminho e nem viabilizar tais sonhos. Somos várias coisas e passamos a querer exercer várias profissões. Temos um mundo de desejos e conforme o tempo vai passando, vamos moldando os sonhos através do que nos vai surgindo pelo caminho. E então paramos novamente naquela encruzilhada e fazemos as nossas escolhas. Escolhas que refletirão significativamente em nosso futuro...
Entretanto, uma coisa que fica sempre clara (pelo menos para mim) é saber definir aquilo que não queremos ser! Pessoas que desenvolvem o altruísmo escolhem seus caminhos e expurgam os maus exemplos, principalmente se foi na bondade de seus sentimentos que elas se fortaleceram. Claro que o contrário também pode ser verdadeiro, afinal, o mundo é constituído de pessoas boas e más, mas a questão que quero refletir é sobre as pessoas que têm todos os motivos para justificarem-se más ou rebeldes e, no entanto, seguem à contramão para provarem que podem ser melhores. A meu ver, apesar de qualquer tipo de influência, o poder de decisão ou transformação está em cada um de nós.
Nunca fui muito favorável às regras. Para mim, qualquer tipo de rotulação ou imposição são, antes de tudo, limitações ao ser de cada um. Regras são boas orientadoras, mas não podem ser vistas como condição final. Há casos e casos, e é por isso que regras também podem ser quebradas. Dizer que semente ruim não dá bons frutos é, no mínimo, julgamento preconceituoso e irresponsável, pois ao generalizarmos pessoas, estamos cometendo injustiças absurdas e muitas vezes infundadas. O filho humilde de um bêbado pode querer, sim, ser embriagado... Mas, pela vida e perspectiva de ser tudo aquilo que o próprio pai não pôde ser... Um filho pode virar exemplo ao seu pai e romper um ciclo ruim, escolhendo o seu próprio caminho, quebrando regras e mostrando-se melhor diante da vida.
Quando escrevi no início sobre compromissos que assumimos conosco, me referi a esse tipo também! Aquele que transformamos maus exemplos em belas lições de vida. Compromissos que nascem dentro de nossas paredes familiares e se tornam alianças de uma relação digna com a própria vida. Podemos ser exemplos transformados... Melhorados... Aperfeiçoados.
 Dedico esse texto aos meus pais, que apesar de terem vivido no inferno de suas vidas, ainda assim ensinaram à mim e ao meu irmão Fábio a sermos respeitosos, dignos e a vivermos na paz do nosso amor! Amo vocês! Muito obrigada por terem nos ensinado a ser quem somos!
Jackie Freitas
“... Cada um é o que é, conforme o quis e - salvo nos casos em que aparecem males irreparáveis - será aquilo que se proponha ser, mas pela única via possível: o conhecimento. Os bens do conhecimento não podem ser herdados pela ignorância...”
*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!