domingo, 27 de junho de 2010

Virando a Página

Não é raro vermos pessoas remoendo problemas passados, engasgadas com acontecimentos que, de alguma forma, trouxeram mágoas. Vejo muitas delas admitindo terem perdoado quem as magoou e deixado para trás as discussões, enterrando toda a dor.
 pagina virando Mas a questão é: Você realmente virou a página?
Já dizem os psicólogos ou os sábios que quem carrega dentro de si a mágoa e vive pensando nela faz um grande mal à própria saúde. E nem precisa, neste caso, ter doutorado no assunto para chegar a tal conclusão. Cada vez que se pensa na mágoa passada, você a revive, a alimenta e faz com que o seu efeito nunca desapareça. É como beber veneno lentamente, todos os dias... Mais ou menos por aí!
Não sou nenhuma Madre Tereza, mas uma coisa que aprendi na vida é virar a página. Parto do princípio que a vida, como um bom livro, tem a sua história, os seus personagens e os seus capítulos. Seguir a leitura adiante é fundamental se queremos entender e apreciar bem essa história. Os personagens nem sempre serão mocinhos e uma boa história não é feita apenas de mocinhos. Identificar quem é mocinho ou bandido na história, muitas vezes, está na ótica de cada um.
Virar a página das mágoas é iniciar um novo capítulo. Muitas pessoas dizem que simplesmente “apagam” as mágoas, mas sabemos que isso não é possível, pois temos tudo o que nos acontece, bom ou ruim, registrado em nossa memória. Portanto não se pode apagar ou deletar. Se não ficarmos remoendo a mágoa, podemos, com o passar do tempo, esquecê-la, torná-la mais distante de nossa memória.
A vida é feita de momentos. Alguns memoráveis e outros esquecíveis. Deixe as mágoas esquecíveis. Supere as diferenças e perceba as diferenças em cada pessoa. Nem todos pensam e agem como gostaríamos.
Sugestão: se optar por perdoar ou virar a página faça com convicção, com a certeza de que isto nunca mais será revivido e posto na mesa em cada discussão. Não existe traição pior do que aquela em que o falso perdão é esquecido e a velha mágoa relembrada. Antes de “perdoar” o melhor é colocar tudo em pratos limpos, mostrando onde e como foi atingido. Zere o problema. Não o leve para a cama, não o aceite como convidado no jantar e nem companheiro de sala. Deixe o problema enterrado num terreno bem distante. Com isso, certamente, você poderá virar a sua página e escrever um novo capítulo de sua vida.
Tem uma música do Legião Urbana – Andrea Doria , que tem um trecho que acho maravilhoso e cabível aqui:
Quero ter alguém
Com quem conversar
Alguém que depois
Não use o que eu disse
Contra mim...”

Jackie Freitas

*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!