terça-feira, 24 de agosto de 2010

Não Crie Expectativas, Viva a Sua Vida!

Acho que o grande erro das pessoas é criar expectativas que estão além do real e possível. Falo de relacionamentos de um modo geral. Quando analisamos os desentendimentos, as frustrações e decepções; percebemos que boa parte está ligada de alguma forma às expectativas criadas com relação ao que os outros podem oferecer.
Uma das coisas mais difíceis que vejo é a consciência da individualidade. Somos seres individuais, não tem jeito! Somamos experiências apenas, mas antes de tudo vivemos coletando informações, cuidando de nossa matéria e espírito, enriquecendo (ou tentando) o nosso ser. É dessa forma que contribuímos quando podemos somar. É assim que acrescentamos nos relacionamentos. Seria injusto achar que os outros estão em busca dos mesmos objetivos que nós! Talvez o egoísmo surja dessa
forma de pensar. Buscar nas pessoas aquilo que queremos para nós e não o que de fato elas podem, através de sua riqueza individual, nos ensinar. Alimentamos a esperança de que todos se encontram no mesmo estágio dos anseios e desejos. Usamos os outros como espelhos e esperamos enxergar neles apenas o que queremos. 
Poucos se dão ao trabalho de buscar aquilo que difere uns dos outros. A grande maioria está carente por respostas e as buscam ansiosas, pressupondo que o mundo tenha que oferecer-lhes prontamente. As dependências emocionais são criadas a partir das expectativas e conseqüentemente delas nascem as decepções.
O que esperar das pessoas? Nada! Essa é a resposta. Simples assim! Faça a sua parte, viva a sua vida alimentando-a com as suas conquistas, buscando o seu próprio caminho e as suas respostas. Não espere que os outros te ofereçam aquilo que você sonha. Não é missão de mais ninguém a sua felicidade. É seu dever! Nós permitimos a participação das pessoas em nossa vida, mas o papel principal ainda é único e exclusivo nosso. Somos nós que comandamos e escrevemos a nossa história. As pessoas surgem para compartilharem as suas experiências ou apenas para realçarem a beleza da história, mas não está nas mãos delas o lápis ou o pincel.
Se você tem cobrado das pessoas a realização dos seus projetos e as culpado por não atenderem às suas expectativas, reveja os seus conceitos. Aceite o fato de que somos responsáveis pelos nossos atos e são eles que nos levarão para o caminho que queremos. As pessoas apenas nos acompanham e nem sempre durante todo o percurso, pois elas mesmas possuem metas próprias. Nos relacionamentos (independente do campo) o ideal é a soma e só pensar em divisão quando podemos contribuir com a nossa parcela de aprendizado. Caso contrário haverá apenas subtração e, nesse caso, alguém sairá perdendo e muito provavelmente ficará frustrado. A liberdade, praticada em sua máxima, nos permite ir além dos desejos alheios. Ela nos condiciona a buscar nossos próprios ideais. Dessa forma teremos mais chances de enxergar o mundo como uma grande engrenagem, onde cada peça é fundamental para o seu funcionamento. Você é uma delas! Exerça o seu papel... Viva a sua vida!
Jackie Freitas
Às Vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas... O tempo passa... e descobrimos que grandes mesmo eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para torná-los reais!”
(Bob Marley)

*Imagens retiradas do Google Imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!