quinta-feira, 28 de outubro de 2010

E Ela Sorriu Para Mim…

Os dias vão passando depressa (ou somos nós que passamos apressados por eles) e nas poucas horas de descanso lembramos-nos do que podíamos ter feito, do que ficou para trás, dos sonhos que não realizamos, das oportunidades que perdemos, das pessoas que nos magoaram ou magoamos... E por aí vamos perdendo outros preciosos minutos.
Quantas conquistas foram semeadas e deixadas perdidas, à míngua, no solo? Anos de sonhos, transformados em projetos que acabaram em meros rascunhos da idealização de uma vida. Daquilo que deveria ser a vida!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Estamos Prontos Para Seguir Adiante?

relogio Afinal o que nos prende a esse momento e tempo? O que nos liga tão fortemente às pessoas que parece nos impedir de dar o segundo passo?
Alguns me chamam de sonhadora, outros de filósofa, outros ainda de questionadora. Sim, posso dizer que sou tudo isso junto e misturado, e ainda me permito ser um pouco mais. Gosto de ser diferente e enxergar um pouco além do óbvio, mas isso não me descaracteriza, em hipótese alguma, como ser humano.
Somos todos confusos, donos de verdades, intolerantes, sofredores, sonhadores, lutadores e sobreviventes. Uma infinidade de adjetivos nos é

domingo, 24 de outubro de 2010

Quem Vê Cara, Não Vê Coração

Hoje eu escutei a velha frase (clichê) “quem vê cara, não vê coração”. Não pude deixar de achar graça. Parece-nos tão óbvio isso que nem paramos para pensar direito e vamos logo concordando: “é verdade!”.
Porém, hoje, com o meu olhar mais crítico, fico aqui pensando que o óbvio pode conter outras mensagens. Nas minhas aulas de ciências aprendi que para enxergarmos uma imagem, primeiramente a nossa visão a inverte até que a identificamos em sua verdadeira forma, não é isso? Então, vou fazer com essa frase a mesma “distorção” para tentar entendê-la em sua verdadeira forma.
A “cara” é o exposto... logo, a enxergamos. O coração, órgão vital, está bem protegido, escondido em nosso corpo. Logo, também não o vemos. Entretanto, coloco-me no seguinte ponto: Enxergamos, sim, o coração e o que não

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Ser Diferente Faz a Diferença!

Sou diferente, que bom!
Muitas pessoas buscam a unanimidade. Querem ser amadas, admiradas e queridas por todos! Gastam mais os seus esforços em causar boas impressões, mesmo que para isso tenham que violentar-se diariamente, do que em manterem uma personalidade própria e fazerem, deste modo, a verdadeira diferença.
Ainda não compreendo qual é o prazer em ser “perfeito”. Perfeição sob o olhar de quem? De uma sociedade que padroniza e rotula, que impõe e segue campanhas para o consumo, que veste “uniformes” e acredita que ser socialmente aceitável é residir nessa fábrica de sonhos e castelo de areia?
Tenho certa preocupação quando vejo a referência “formador de opinião”. Causa-me a sensação e, às vezes certeza, de que somos todos suscetíveis e necessitados de alguém que pense por nós. Inválidos e incapazes de exercermos nossas faculdades mentais.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Rose Nakamura - Uma Fênix na Terra do Sol Nascente

Hoje vou escrever sobre uma Fênix que fez um longo vôo e cruzou o oceano para mostrar a todos como se renasce das cinzas: Rose Nakamura.
Brasileira, nascida em Sorocaba, cidade do interior de São Paulo, Rose Nakamura mora no Japão há sete anos. Formada em jornalismo, tem como uma de suas paixões a fotografia, tendo, inclusive, um livro publicado “Templos Japoneses” com belíssimas exposições de fotos. A natureza lhe desperta uma atenção especial. Herança deixada por seu pai, que a ensinou sobre plantas e flores.
Após uma forte crise econômica que abalou o país, Rose Nakamura, desempregada, começou a escrever o livro “Caminhada – As Duas Faces de Uma Vida no Japão” onde conta, através de seu olhar e experiência, a vida e as dificuldades enfrentadas no Japão.
Rose Operária
 A vida, sem dúvida, nos surpreende a todo o momento, oferecendo momentos de alegrias, mas, também, de dificuldades. E para essa brasileira, cuja história comprova a sua garra e superação constante, não foi diferente. Viver em um país com fortes diferenças sociais e culturais, incluindo a dificuldade do idioma, exige muito mais do que disciplina e força de vontade. No livro, Rose mostra claramente esse impacto e conta sobre a vida operária e os

terça-feira, 19 de outubro de 2010

A Diferença de Ser Feliz

Estar feliz incomoda muita gente... Ser feliz incomoda muito mais!
Desde cedo acreditamos que a perfeição não existe e que, assim como ela, felicidade é algo subjetivo, que não tem um todo formado, mas partes (momentos) que nos remetem a essa sensação.
Vivemos, na maior parte do tempo, indagando onde mora a felicidade e quando seremos contemplados com a sua presença. Porém, o que se observa é que cada um dá a ela o seu significado, cada um busca a sua forma de ser feliz.
Muitas vezes somos felizes e numa escala de pequenas proporções, vamos colecionando momentos que nos demonstram a existência dela. Permanente ou passageira, a felicidade está na forma e no tempo que cada um a mantêm.

domingo, 17 de outubro de 2010

Quando a Nossa Verdade Não Basta

Vivemos cercados por mentiras e sofremos a pressão de sermos sinceros o tempo todo. Somos espionados e testados, onde alguém sempre estará no aguardo de um deslize para poder confrontar e expor em humilhação a nossa verdade diante de todos. Muitas vezes nos pegamos tentando explicar aos outros nossas atitudes e palavras. Sempre estaremos dando a nossa versão aos fatos. Somos flagrados em justificativas e, em alguns casos, até implorando para que acreditem que aquilo que dizemos é a verdade... A nossa verdade! Mas, e quando ela não basta? Quando precisamos recorrer a outros meios para provar que somos sinceros e verdadeiros?

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Meus Amigos, Suas Flores e Seus Perfumes

Confesso que pensei muito sobre o que eu iria escrever nesta minha 100ª postagem! Pensei em agradecer a todos que me incentivaram chegar até aqui e, ao meu modo, é o que farei.
Decidi escrever sobre a vida! Meu assunto preferido, que me leva às reflexões profundas, que promove encontros e desencontros, que me faz mergulhar em mistérios e, algumas vezes, abrir a grande cortina que insiste em cobrir esse grande espetáculo: VIDA!
Percorri, num breve regresso, por todos os caminhos que me trouxeram aqui, que me proporcionaram mais aprendizado. Fui muito mais aluna do que professora e isso me dá uma enorme satisfação. Não fosse por essa decisão de caminhar, talvez não encontrasse muitos daqueles que hoje encontro diariamente. Pessoas que me encantam e me ensinam com suas mensagens. Pessoas que compartilham suas experiências sem receios e que, através delas, me acrescentam conteúdo a essa bagagem.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Fechado Para Balanço

De vez em quando paramos para reavaliações. Como dizem no comércio: “fechado para balanço”. Nenhuma relação com tristeza como habitualmente pensam. Fechado para balanço é um momento ou período que revemos nossa trajetória e buscamos acertos. E por falar em acertos, me vem em mente uma das preocupações que comumente temos: estarmos certos sempre! Isso me levou a outra análise e é sobre isso que quero escrever hoje.
Recentemente li no blog O Que É Isso? , da minha querida amiga Eninha Campos, um texto que aborda o conceito da gentileza. Não aquela que oferecemos aos outros e sim a que deveríamos ter conosco e por vezes não temos. Na publicação “Você é Gentil? Consigo mesmo?”
automaticamente fazemos um mergulho interior e começamos a nos dar conta do quanto nos cobramos diariamente. Cobramos, punimos, não perdoamos as nossas próprias falhas. Tudo porque estamos sempre em busca da perfeição.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Superando os Obstáculos

Diante das adversidades da vida temos escolhas! Podemos escolher a forma como iremos encará-las e quais os caminhos que percorreremos para superá-las.
Por mais que estejamos seguros, as tempestades sempre surgirão, uma pedra poderá bloquear o caminho ou a nossa própria visão turvará, impedindo que reconheçamos a rota traçada. Faz parte dos desafios da vida!
A questão que gostaria de colocar aqui é como nos desvencilhamos desses contratempos? De que forma os superamos e não permitimos a derrota? Minha mãe sempre me dizia que, diante da vida, somos crianças aprendendo a dar os seus primeiros passos. Caímos com mais freqüência do que desejamos e as quedas são fundamentais para o nosso fortalecimento. A preocupação não deve jamais ser com a possibilidade de uma nova queda e sim com a forma como nos levantamos dela. Isso faz toda a diferença no modo como seguiremos adiante.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Somos O Que Falamos?

Tenho observado que uma das maiores contradições que vivemos é conseguir coerência entre o que dizemos e o modo como agimos. Será realmente que somos aquilo que falamos?
Não é de hoje que ouvimos que a teoria não corresponde necessariamente com a prática. Encarar a sinceridade não é fácil! Nem para quem escuta e muito menos para quem se depara em contradições nas auto-avaliações. Assusta-nos, principalmente quando ela grita na consciência que estamos agindo incoerentemente com aquilo que afirmamos ser. Obviamente há distinções entre o reconhecimento do certo e a sua prática. Verdades e mentiras podem ser sinceras?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!