Mostrando postagens com marcador Relacionamentos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Relacionamentos. Mostrar todas as postagens

domingo, 24 de setembro de 2017

Deixe ir...

Era uma vez uma menina que via o mundo com docilidade. Acreditava nas
pessoas e desejava a felicidade de todos os seres. Certo dia encontrou um pequeno e frágil pássaro e resolveu levá-lo pra casa. Comprou uma linda gaiola e o colocou lá. Todos os dias admirava a beleza do pássaro, alimentava-o com carinho e ficava esperando que, em troca de sua generosidade, ele cantasse para ela.
Passaram-se dias e mais dias e o pássaro nada. Sem canto ou encanto, passava seus dias olhando para o horizonte através das grades da bela gaiola. A menina, que acreditava em seu gesto benevolente, ficou também triste por vê-lo tão distante do carinho e amor que ela proporcionava. E então, impetuosamente, decidiu libertá-lo. Abriu a gaiola, o segurou entre as mãos, deu um carinhoso beijo e o deixou voar em rumo ao seu destino... Nunca vira asas baterem tão fortes e um voo tão rápido. Mas, ficou feliz por saber que tinha feito a escolha certa, sobretudo pra si mesma.”.
Algumas vezes na vida precisamos tomar decisões semelhantes. Agimos, também, com a certeza de que o simples bem querer é suficiente para proporcionar felicidade a alguém. Esquecemos, entretanto, que nem sempre o nosso “querer” é o mesmo dos outros. Acabamos nos aprisionando nas melhores intenções e propostas, mantendo um relacionamento que não evolui e nem proporciona nada além de sofrimentos. Acreditamos, ingenuamente, que o tempo cuidará tanto do amadurecimento quanto da “cura” da relação, e no decorrer desse tempo percebemos que nada mais fazemos do que prolongar uma decisão que deveria ser tomada nos primeiros sintomas de desconforto ou infelicidade: deixar ir!

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Até Logo...

Ao meu amigo Marcelo Parrillo

Faz muito tempo que não conversamos. A última vez que nos vimos trocamos rapidamente um olhar com a promessa de que nos veríamos de novo e que tudo ficaria bem novamente. Mas não nos vimos mais... Não nos falamos e nada ficou bem...
Hoje penso que deveria ter voltado naquele dia. Voltado atrás e superado minha teimosia, birra e ranhetice; sentado e conversado ou, pelo menos, perguntado como você estava. Deveria ter agido da forma correta com que os amigos agem uns com os outros... Mas não fiz e simplesmente fui embora...
Hoje, quem partiu foi você! E desta vez não terei a chance de reencontrá-lo com aquele sorriso no olhar. Nem sequer terei a chance de pedir perdão por não ter sido a amiga que você precisava e esperava que eu fosse. Hoje você partiu e tudo o que ficou foram as lembranças das muitas gargalhadas que demos juntos. Ficou a dor de não ter te dito que enquanto humanos erramos de todas as formas, mas que nenhum erro deve superar a aliança da amizade. Sinto-me fracassada por ter desperdiçado essa oportunidade...

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Crescer Lentamente...

Quando comecei a escrever esse texto queria transmitir uma mensagem totalmente diferente...
Ontem foi meu aniversário e sempre que posso, nessa data, escrevo algo em forma de celebração ou agradecimento a vida. Mas, diferentemente dos anos anteriores, ontem não tinha esse objetivo porque achava que não havia razões para comemorar... Estava dominada pela tristeza e por tantas insatisfações que não me pareceu justo comemorar algo que eu mesma não enxergava.
Tem um provérbio chinês que diz “Não tenha medo de crescer lentamente. Tenha medo apenas de ficar parado.” e, no fundo, saber diferenciar uma coisa da outra é que acaba nos confundindo algumas vezes. Não sabemos ao certo se estamos no processo lento do crescimento, absorvendo cada etapa da vida, aceitando nossas falhas e aprendendo com elas ou se apenas nos deixamos dominar pelo medo, permitindo que ele nos paralise e impeça de darmos o próximo passo. Às vezes parece que caminhamos com uma venda nos olhos e que a qualquer momento cairemos num precipício, tamanha é nossa insegurança acerca da vida. Não sabemos sobre o futuro e isso nos perturba porque de algum modo achamos que a sabedoria implica em conhecer muito mais sobre o futuro do que sobre nós mesmos.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Para as pessoas lindas...

O que nos torna lindos de verdade? Essa é uma pergunta que constantemente me faço quando observo o quanto valorizamos aquilo que vemos e não o que devemos enxergar, nos outros e em nós mesmos...
Beleza, num primeiro momento e de forma imediata, está associada à plástica: cabelos, rosto, pernas, seios, bumbum... Corpo, apenas corpo e nada mais! De preferência bem cuidado, independente se é natural ou “fabricado”. É como dar mais importância à embalagem do que ao presente em si.
Conteúdo não é tangível e, quase sempre, é imperceptível, simplesmente porque ele não está ao alcance dos nossos olhos. Para enxergar a verdadeira beleza de uma pessoa é necessário mais que uma boa visão! Nos dias de hoje é o mesmo que ter superpoderes e possuir o dom de enxergar além do corpo, ultrapassando a couraça que nos reveste para, então, atingir um plano muito superior que nos mostra a beleza consistente de cada um.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Quando atitudes falam mais que palavras

Às vezes ouvimos muito e enxergamos pouco... Porque as palavras, entre tantos significados, possuem o poder de nos calar e cegar...
Continuo minha incursão pelo universo mágico das palavras, porém, tentando enxergar as suas causas e efeitos. Não é raro escutarmos belas palavras. Algumas ditas com emoção, outras com sinceridade e muitas com intenções apenas de impressionar ou manipular...  Falamos o que queremos, escutamos o que nos interessa e acreditamos no que nos convém. Essa é a verdade! Não importa se o que nos dizem está envolto de mentiras, falsidades, ilusões ou da mais pura sinceridade; porque no final acreditamos apenas naquilo que queremos e precisamos. Invariavelmente nos machucamos... por não ter acreditado quando deveríamos ter dado um voto de confiança ou por não ter duvidado quando a oferta era generosa demais. De qualquer modo nos machucamos se fazemos das palavras a nossa única bússola.

terça-feira, 17 de maio de 2016

O Universo das Palavras

Tudo está bem, correndo conforme o planejado e em perfeita harmonia, até que uma palavra é dita. Uma única palavra para acabar com a magia daquele momento... Então você tenta ignorar, fazer de conta que não ouviu ou se convencer de que aquilo não foi suficiente para mudar o seu sentimento. Só que, infelizmente, foi e colocou fim no encanto!
Como lidar com as palavras de modo que elas entrem e causem o efeito da forma que precisam? Uma palavra sozinha é apenas uma palavra lançada... Inserida num contexto ou dita em um determinado momento, tem um efeito devastador, porque palavras traduzem sentimentos, expressam emoções e acionam sensações que podem nos motivar ou simplesmente nos paralisar.
Às vezes é tão fácil acreditarmos nelas! Tanto que ignoramos todos os sinais que as precedem ou que surgem após elas serem ditas. Fácil nos convencermos com belas palavras, mas difícil compreender as suas intenções. Significa que

segunda-feira, 9 de maio de 2016

As Fases da Felicidade

Quando eu era pequena, felicidade para mim era ganhar uma bicicleta ou um brinquedo da moda anunciado na TV; ir à praia com meus pais, poder brincar no mar até me cansar e tomar sorvete até a minha garganta congelar... Felicidade era estar entre as pessoas que eu amava (minha família), pois esse era o único mundo que eu conhecia! Depois, adolescente, felicidade era estar com meus amigos, um novo mundo dentro do meu mundo. Era andar de bicicleta sem direção planejada, livre e respirando um ar de pequena aventura, mesmo sabendo que ela não me levaria muito longe e que a minha casa seria o destino final. E era ótimo saber que eu tinha para onde voltar.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Maneiras de Amar

“De todas as maneiras que há de amar, nós já nos amamos...”.
OK; entendi a letra e não é difícil captar a mensagem que Chico Buarque quis transmitir nessa música que ganha ainda mais intensidade na voz de Maria Bethânia; porém, entretanto, todavia, no meu ponto de vista não há muitas maneiras de amar...
Tudo bem que no amor se vive mil emoções como em uma montanha russa, com seus altos e baixos, mas ele nunca deixará de proporcionar aquele mágico sentimento que só quem ama ou amou de verdade sabe e não consegue explicar. Nenhuma experiência explica ou se compara ao amor!
Claro que algumas vezes nos decepcionamos, mas aí não estamos mais falando sobre amor e sim sobre expectativas... É nessa transição que esquecemos o verdadeiro significado do amor e passamos a tentar compreender as nossas vontades, desejos e, em alguns casos, egoísmo... Queremo-nos no outro... Na

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Reconstruir-se

O processo de reconstrução não é fácil. Primeiro, porque admitir a necessidade de se reconstruir é ter que aceitar a derrota e o fracasso de projetos mal sucedidos, de sonhos perdidos ou do confronto com uma verdade que não queríamos enxergar. É chegar num beco sem saída e ter que repensar num modo menos doloroso e traumático de retornar e recomeçar, mesmo que essa ideia nos cause desconforto e medo de passarmos novamente por tudo o que nos machucou. É como se já não acreditássemos mais em nós mesmos e nem na capacidade de superar os traumas passados.
Contudo, recomeços (e eu coloco no plural porque são muitas as vezes que precisamos recomeçar), apesar de não serem fáceis, são novas oportunidades que nos damos para fazer tudo diferente! Explorar novos caminhos, ousar, inventar ou apenas reinventar-se. É entrar numa loja e comprar aquela roupa que não tínhamos coragem de usar por achar que ela não cairia tão bem e que nos faria parecer gordos demais ou ridículos! O processo de reconstrução nos obriga a testar possibilidades inimagináveis como recurso incondicional de mudança. Quem se importa em parecer ridículo quando tudo o que se viveu, até então, te fez sentir-se assim?

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Novo Fenix

Olá!

Quando passamos por um processo de renovação é natural que busquemos mudanças que nos motivem e que, ao mesmo tempo, nos permita novas experiências. Mudamos nosso comportamento, visual, rotina, etc. Encontramos motivações em atividades que nos façam sentir mais produtivos. Alguns partem para as academias e vão trabalhar o corpo, outros iniciam estudos para trabalharem a mente, ou apenas passam a fazer coisas que antes não faziam, explorando as variadas possibilidades da vida. Eu, apesar de tentada a fazer tudo isso, retomei a escrita, pois essa é a minha verdadeira forma de produção e motivação.
Para acompanhar esse processo de renovação pelo qual estou passando, resolvi dar uma cara nova, também, ao meu blog, que agora se transformou em site e está em novo endereço: www.fenix-vidas.com.br. Continuaremos falando sobre os mesmos temas, preservando o conteúdo do blog. Apenas a estética e layout mudaram!
Então, queridos amigos e leitores, benvindos ao novo Fenix - Vidas que Renascem! Estamos trabalhando ainda em alguns detalhes e ajustes para que possamos proporcionar-lhes um agradável momento de parada e boas leituras.
Muitas novidades virão, mas não resisti e quis antecipar essas!
Espero que gostem!
Um carinhoso abraço.

Jackie Freitas


*Imagens retiradas do Google Imagens

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Uma Simples Mensagem

É impossível passarmos por esta vida sem causarmos algum tipo de dor ou sofrimento em alguém. Também não passamos ilesos, sem nenhum arranhão ou fissura...
Somos tão frágeis que uma palavra mal dita nos causa mais dor e lágrimas do que, muitas vezes, uma agressão física. Somos sentimento revestido por uma couraça que se chama corpo. E essa couraça nem sempre nos protege das dores que se instalam na alma ou no coração. A nossa fragilidade não representa fraqueza... Ela apenas indica que somos humanos; então, sofrer pelas decepções também faz parte de nossa humanidade.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Feliz Ano Qualquer...



Mais um ano que acaba e outro que começa... É assim o ciclo de uma vida que é composta por segundos que se tornam minutos, que se tornam horas; de horas que viram dias; dias que completam meses que concluem o ciclo de um ano... Uma verdadeira engrenagem em funcionamento ininterrupto para que tenhamos chances de fazer com que a vida aconteça!
Por mais que queiramos, não adianta entregarmos nossas expectativas nas “mãos” de um Ano Novo porque não é dessa forma simplista que as coisas acontecem ou se resolvem. É preciso atitude e disposição para a vida; vontade e, sobretudo, coragem para enfrentar os desafios que nos são propostos! Somente assim damos sentido ao novo, quando abrimos a mente e as portas do coração para receber o futuro. Quando nos desprendemos do passado e vivemos intensamente o presente.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

As Boas Razões...

Tem uma citação de H. Jackson Brown, Jr que gosto muito e que, atualmente, me representa muito bem:
Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém... Posso apenas dar boas razões para que gostem de mim... E ter paciência para que a vida faça o resto...".
Creio que passamos boa parte do tempo, entre as muitas de nossas buscas, lutando por algum tipo de aceitação. Diria que, em alguns casos, exigindo reconhecimento e notoriedade. Vivemos escravizados pelas impressões que causamos e as que queremos causar aos outros, dando demasiada importância para as opiniões alheias quanto ao nosso comportamento e jeito de ser. E, vamos combinar; como é cansativo querermos manter uma imagem que não é a nossa somente para agradarmos aos outros!
Sabemos que as pessoas são diferentes umas das outras, mas, ainda assim, insistimos na concepção de um padrão das coisas e comportamentos certos, como se todos devessem agir da mesma forma para que sejam rotulados e queridos.

sábado, 30 de março de 2013

Medo X Coragem

O medo, muitas vezes, nos impede crescer. Por causa dele, deixamos de buscar oportunidades e conhecer os muitos e diferentes caminhos da vida.
Vivemos na idealizada segurança, mesmo que insatisfeitos, e não nos permitimos olhar além dos muros que o medo constrói em nossa volta. Mas, chega um momento que precisamos avançar e fazer da coragem a nossa principal arma de sobrevivência.
Não acredito que a vida seja complicada... Tenho, cada vez mais, certeza de que a sua simplicidade é que nos desafia a enxergar o obvio e ao mesmo tempo bloqueia a nossa visão, prendendo-nos na comodidade e transformando o medo em barreiras gigantescas para as novas descobertas.

domingo, 16 de dezembro de 2012

500 Palavras

Gostaria de falar do amor com propriedade! Gostaria de encontrar uma só frase que o definisse com exatidão...
Dizem que o amor é simples... E amar? Simples na teoria, mas que na prática exige olhares e percepções diferentes, interpretações sem confusões, mais atitudes e menos definições...
Posso dizer que sou afortunada, pois minhas buscas pelo amor nunca me levaram à exaustão. Aliás, posso afirmar que nunca encontrei o amor... Ele quem sempre me encontrou! Sou abençoada em todos os sentidos e é por isso que, de vez em quando, faço questão de vir aqui e publicar a minha gratidão.

domingo, 16 de setembro de 2012

Além dos Muros, Através das Pontes

Antes de começar a escrever, tinha apenas uma pergunta rondando meus pensamentos: “Por que as pessoas isolam umas às outras?”. Depois, esta pergunta foi derivando outras e, antes mesmo de tentar respondê-las, cheguei à triste conclusão de que os muros que nos cercam estão cada vez mais altos e as pontes, que deveriam permitir os acessos, mais longas e estreitas...
Transpor estes muros não é tarefa fácil, principalmente quando pensamos na dura escalada e nas possíveis quedas a serem enfrentadas e superadas. Percorrer o longo trajeto das pontes tornou-se uma missão tão árdua e cansativa, que muitos desistem logo no início. Desta forma enxergamos tantas dificuldades para nos aproximarmos das pessoas que acabamos por nos submeter ao isolamento. Gostaria muito poder perguntar aonde isso tudo nos leva e ter uma resposta diferente da que, infelizmente, os muros tornaram-se nossas próprias prisões e não nos permite ir a lugar algum... O que se obtém nesta reclusão é o atrofiamento das emoções e algo que, a meu ver, o maior de todos os ônus: o envelhecimento da alma!

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Saber Conviver… Saber Viver

Somos surpreendidos a todo instante... A vida é uma caixa de surpresas e nos proporciona tantas dádivas! Por mais que acreditemos no infortúnio ou na má sorte; ainda temos um saldo positivo a ser comemorado.
Não acredito em conspirações malignas! Não creio que o universo, em sua imensidão e beleza, despenda do valioso tempo para articular o mal contra nós. Penso que tudo o que recebemos faz parte de uma troca... Somos a causa e o efeito, e colhemos o que plantamos. Mesmo quando os frutos demoram a aparecer... eles aparecem! Então, se semeamos coisas boas, os bons frutos resultantes de nossos esforços aparecerão... E o inverso também acontece! Com o diferencial de que as más energias se propagam em outra velocidade, ou seja, a colheita da prática do mal chega rapidamente!

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

O Amor e suas Dores

Outro dia, assistindo um filme, vi uma cena onde o protagonista dizia que o amor dele era tanto que chegava a doer... No final ele chegou à conclusão de que o amor não deveria causar nenhum tipo de dor, portanto, o dele estava errado...
É certo que buscamos no amor algum tipo de conforto pra alma, recompensas, justificativas e vários sentidos para a vida; mas sabemos que não caminhamos o tempo inteiro sob o céu de brigadeiro... Encontramos tempestades, nuvens escuras e vendavais. E, mesmo o amor verdadeiro, construído em bases sólidas, capaz de resistir a tudo, não está imune às diversas provações da vida.

domingo, 5 de agosto de 2012

O Tempo e suas Bênçãos

Queridos Leitores,
Este é um momento particular que compartilho com todos vocês. Perdoem-me por utilizar este meio para demonstrar toda a felicidade e emoção que sinto, mas estou em casa e muito à vontade para dizer-lhes que a minha primogênita completou os seus dezoito anos!
Uma vez li um texto muito bonito, recebido por e-mail e publicado aqui no blog. Há um trecho dele que gosto muito e com o qual irei começar minha mensagem: “... que não digamos apenas eu te amo, mas ajamos de modo que aqueles a quem amamos, sintam-se amados mais do que saibam-se amados.
Não tenho certeza se fui (ou sou) uma boa mãe. Aliás, dizem que ser mãe é viver eternamente com o peso da culpa de achar que nunca se é boa o suficiente ou de que tenha feito as coisas certas... Espero que eu tenha dito muitos “eu te amo” à minha filha e espero, mais ainda, que ela, apesar dos pesares, tenha se sentido muito amada...

segunda-feira, 23 de julho de 2012

As Duas Faces do Julgamento

Há uma referência bíblica que diz: “não julgueis para não serdes julgados...”. Apesar de muitos de nós pronunciarmos estas palavras com convicção e, às vezes, com um “q” de sabedoria irrefutável; na prática passamos o tempo todo julgando com a mesma irracionalidade daqueles que nos julgam.
Talvez seja difícil conter nossas opiniões sobre os outros e, principalmente, não usá-las inapropriadamente. O que nos torna capazes de fazer julgamentos e, consequentemente, determinar o caráter de uma pessoa? Quais são os critérios utilizados para que os julgamentos se transformem em sentenças absolutas contra alguém?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!