terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Adeus Ano Velho…Feliz Pessoa Nova

Cada vez que encerra um ano, me despeço de alguém... Vejo uma pessoa indo embora, me acenando entre lágrimas e risos, com a certeza de que não nos veremos mais. A cada ano nos despedimos da criança que deixamos para trás. Crescemos, amadurecemos, evoluímos e é inevitável que essa criança dê espaço ao novo ser que surge dentro de nós. Jovens ou velhos, mantemos aquela criança lá guardada em algum lugar, esperando que, de vez em quando, falemos com ela... Ela ainda precisa de carinho e da nossa atenção. Mas, a vida passa, ganha anos e vamos nos esquecendo dessa criança.
Mais um ano se acaba e outro se inicia e eu fico procurando aquela criança para desejar-lhe um Feliz Ano Novo. Quero perguntar-lhe sobre mim, saber de meus medos, dos meus sonhos... Quero conhecer-me melhor, enxergar-me através de seus olhos e saber em qual ano nos despedimos. Mas, mais um ano se finda e quanto mais anos me entram vida à fora, menos lembro dessa criança.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Dois em Um

Eu sei muito sobre você! Mais do que você imagina!
Sei dos seus medos, de suas dores; conheço as suas alegrias, o seu silêncio...
Conheço os olhos que me chamam, sem nada dizer-me... Até mesmo quando a sua boca fala te conheço pela denúncia do olhar...
Sei mais de você do que de mim mesma, pois cedo a você tanto espaço dentro de mim, que pouco dele sobra para os meus pedaços... Mas é uma invasão consentida, autorizada e querida. Uma invasão que me enriquece e dá formas ao meu ser.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Amiga Blogueir@ da Semana – Samanta “Sammy”

Sammy O fascínio do convívio “virtual” é que ele nos proporciona não apenas leituras que agregam e estimulam cada vez mais ao nosso desenvolvimento intelectual; como o de podermos conhecer pessoas fascinantes! Nessas minhas “clicadas” um mundo novo se abre diante de meus olhos! E não apenas belos textos me surgem... Amizades se estreitam.  Samanta Modesto tornou-se uma grande amiga! Conhecemos-nos pessoalmente e só reafirmamos uma admiração mútua que teve o seu início num simples “clique”. Entrei no mundo de Sam e ela entrou (para ficar) no meu!
Uma vez por semana, Fênix - Mulheres que Renascem, publicará um texto escrito por uma dessas pessoas que tanto admiro e respeito. Na estréia, minha querida amiga Samanta nos brinda com esse delicioso e reflexivo texto e recomendo a todos os meus leitores que visitem o seu maravilhoso blog Vida Real da Sam para conhecerem outros pensamentos dessa contagiante escritora! Tenho certeza que todos irão se apaixonar e desejar serem amigos dela, assim como eu!
Obrigada, minha amiga querida por esse grande presente!!!
É o Inesperado que nos Move - Por Samanta Modesto

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

O Despertar do Natal - Apenas Uma Noite Feliz?

 
Chegamos a mais um final de ano...
Quando pensamos nos ciclos da vida, seria natural acreditarmos que, também, mais um ciclo se fecha ao final de cada ano. Entretanto as coisas não são bem assim...
Anos se acabam e se iniciam, mas as “pendências” não possuem o mesmo prazo de validade (exceto os compromissos financeiros). Nosso ciclo pessoal independe do término ou início de ano!
O que mais me deixa perplexa é ver como a “consciência” das pessoas ressurge no final de cada ano... É como se o calendário soasse tal qual um alerta ou

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O Meio, Fim e Recomeço… Obrigada Curitiba!

Hoje quero compartilhar o meu pensamento e agradecimento...
Quantas vezes não nos pegamos em retrospectivas, avaliando atos e decisões que deram um rumo diferente em nossa vida? E quantas, dessas vezes, não pensamos em poder voltar ao passado e termos a chance de fazer tudo diferente? Um recomeço ou uma segunda chance, são desejos que temos quando olhamos para trás e sentimos que algo melhor poderia (e deveria) ser feito, mas que no ímpeto de nossa ansiedade, seguimos por um caminho oposto ao que realmente queríamos... Podemos amargar no inferno ou apenas vivermos no paraíso das conseqüências de nossas decisões.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Notas que Compõem Meu Amor

Eu gostaria de saber com quantas notas se compõem uma linda canção... E se ela for de amor, que toque o fundo do coração e inunde a alma com aquela paz indecifrável... Quantas notas a mais precisaríamos para ter uma canção perfeita e sublime?
Descobri que dois corações unidos, ligados em pleno amor, ritmados no próprio compasso, podem dar os acordes de uma composição... E cada ato diário, empenhado em carinho constante, será a nota a mais... Cada sorriso de felicidade, compreensão ou agradecimento, fará com que a música ecoe pela vida.
Algumas canções são eternas, mas as melhores são aquelas compostas por nós... Através de nossa história e do amor que construímos pacientemente.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Exemplos Que Transformam

Acredito que todos nós nascemos “temperados”! Uma dose de bondade outra de maldade formam nossa essência. No decorrer da vida, utilizamos mais um tempero que o outro. Dizem que aquele que mais “alimentarmos” determinará a nossa personalidade.
A vida e os seus percursos, certamente influenciam e moldam o caráter de cada um e o meio em que se vive terá, também, grande responsabilidade nessa formação. Por regra, acredita-se que “filho de peixe, peixinho é” ou “pau que nasce torto, morre torto”; mas, como regras têm as suas exceções, o que dizer de pessoas que provam exatamente o contrário?
Muitas vezes, pessoas justificam seu comportamento e atitudes, culpando sua criação ou herança genética. Eu, por exemplo, cresci num lar de brigas constantes, presenciei várias cenas de desrespeito (algumas com violência) e isso não fez com que eu fosse mais uma comprovação estatística de má formação pessoal, proveniente de lar instável. Ao contrário, me fez saber exatamente quem e como eu não queria ser!

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O Sol Nasce Para Todos… As Oportunidades Também!

Dizem que as boas oportunidades não batem duas vezes na mesma porta. O erro talvez esteja em deixar a porta fechada ao invés de aberta! As razões são tantas que acabamos nos esquecendo quando fechamos as portas que cercam a nossa vida. Eu acredito, com base nos altos e baixos que tive na vida, que nós somos os maiores limitadores de nossas oportunidades. Muitas vezes nos recusamos a caminhar para frente não por temermos o que nos espera adiante, mas por ainda ficarmos, de alguma forma, presos em eventos passados, carregando arrependimentos ou mágoas. Assistimos à evolução, mas não evoluímos junto. Enquanto isso, nossos amigos mudam de emprego, adquirem bens, trocam o velho carro, viajam... Nossos filhos se formam, nossos parentes se casam, mudam de cidade e aquele conhecido que julgávamos “fracassado”, aparece feliz e realizado. Não compreendemos como pôde tudo isso acontecer e nos assustamos com a velocidade do tempo. E na verdade, o tempo correu igualmente para todos e as oportunidades estiveram, também igualmente, disponíveis. A diferença foi que, enquanto estivemos parados, com as portas fechadas, aguardando o toque da campainha; os outros foram em busca dos seus objetivos.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Quero Aprender Confiar!

Eu sou uma pessoa de boa fé! Entretanto, sou desconfiada por natureza. Acredito nas pessoas até que me provem o contrário, mas estou sempre “com um olho fritando o peixe e outro vigiando o gato”! Viver simultaneamente essas contradições, de certo, não faz bem. Por que nos tornamos pessoas que querem crer na humanidade, mas estamos desconfiadas o tempo todo?
Confiança, aprendi desde cedo, é algo que demoramos a conquistar e basta um pequeno vacilo que a perdemos instantaneamente. E o que são relações sem confiança? Para mim, elas não existem! Pelo menos, não as verdadeiras.
Vivemos em uma era onde as informações são facilmente manipuladas, portanto, tendenciosas e muitas vezes mentirosas; onde pessoas usam de máscaras para se protegerem ou até mesmo enganarem os outros; onde sentimentos são postos em segundo plano para darem vez à frieza das pérfidas intenções. Difícil, em contrapartida, não nos “armarmos” contra todas essas armadilhas que nos cercam.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Sintonia do Amor

Uma das coisas que normalmente se espera (cobra) em um relacionamento é a mutualidade de ações e sentimentos. Na medida em que doamos, esperamos receber proporcionalmente a recíproca da dedicação e atenção, quando na verdade, deixamos de lado o modo particular em que cada um concebe a forma de expressão e definição dos atos: relacionar, sentir, gostar ou amar.
Numa visão própria, é natural que cada um sinta-se injustiçado, menos valorizado ou mais sacrificado do que o outro, quando se fala em relacionamento. Dificilmente se compreende o tempo que cada pessoa leva para atingir a maturidade necessária para que o relacionamento entre em “sintonia”.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Sonhar Outra Vez

Quando aprendemos a sonhar? Quando surgem os primeiros esboços do sonho?
Na verdade não quero falar sobre os significados dos sonhos e nem de sua simbologia. Meus pensamentos começaram a percorrer a trajetória da vida onde, em alguns momentos, utilizamos o sonho como um recurso motivador, um combustível para a árdua caminhada.
Curioso como passamos parte da vida “sonhando”, construindo nossos castelos e de repente nos percebemos descrentes e desmotivados (ou cansados demais)... É como se todo o encanto se acabasse num passe de mágica e passássemos a enxergar a vida com a dureza dos olhos e a desconfiança do ser. As luzes se acendem, o palco fica claro e olhamos para o cenário que outrora parecia emoldurar a vida sonhada.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Ladies and Gentlemen

Quem tolera um desaforo? Já dizem que “quem fala o que quer, ouve o que não quer”.
Calar-se diante de ofensas, principalmente quando elas partem para o campo pessoal, nem sempre está sob o nosso controle. Confesso que eu mesma, dificilmente, consigo me manter calada.
Há duas formas de se partir para a ignorância: uma é literalmente ignorando, sem dar “IBOPE” ao veneno destilado por quem quer que seja; e a outra é agindo com ignorância máxima e partindo para a batalha verbal. Saber qual das duas condutas deve ser tomada, está ligada à personalidade de cada um. Examine a sua consciência se precisa dessa resposta.
Independente da classe social, educação e elegância são preocupações que todos querem manter e elas nem sempre estão intimamente ligadas. Conheço muitas pessoas de origem simples que são mais “finas” do que algumas nascidas em “berço de ouro”.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Em Nome de Quê? De Quem?

Você se arriscaria a falar em nome de Deus?
Em nome do Pai, Filho e Espírito Santo... Santíssima Trindade...
Livrai-nos do mal... Quem nos livra dele?
Cada vez mais vozes engrossam o coro e falam em nome de algo ou alguém.
Em nome da fé, em nome do amor, em nome da amizade, em nome da paz, em nome da democracia, em nome dos bons costumes, em nome da justiça...
Para todos os atos há um interesse escondido ou uma intenção velada. Declarados, mas protegidos sob o manto de alguma crença ou ideologia que se confundem com fanatismo e, às vezes, com sonhos.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Um Novo Dia, Uma Nova Pessoa

Hoje é um dia como outro qualquer. Nem mais bonito, nem menos feio... Apenas mais um dia... como outro qualquer.
Hoje eu não sou uma pessoa qualquer! Nem menos bela, nem mais feia... Apenas uma pessoa... não como outra qualquer.
Os dias são todos iguais, diferentes somos nós! Somos nós que damos cor e vida aos dias, que percorremos as suas horas e desenhamos histórias. Quando nos colocamos entre a multidão, notamos nossas semelhanças, mas sabemos exatamente o que nos difere. E quando isso acontece, temos o poder de fazer acontecer, de provocar mudanças e fazer tudo diferente.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Não Seja Vítima de Si Mesmo

Não foi Deus que se calou diante dos seus apelos! Nem a multidão que lhe virou as costas quando você achou que mais precisava de mãos para socorrê-lo. Não foi a condição social que te privou de oportunidades e nem o destino que não te colocou no caminho certo, na hora certa. É sempre muito fácil encontrar culpados quando se precisa da tranqüilidade e conforto para se fazer de vítima!
Tenho certeza que nessa visão, encontraremos mais de um motivo para despertarmos a compaixão. E quando não há mais como culpar aos outros e a realidade prevalece? Você fica satisfeito com o que enxerga? Quando o papel de vítima deixa de ser “tocante” e passa a ser entediante? Já parou para pensar nisso?

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

E Ela Sorriu Para Mim…

Os dias vão passando depressa (ou somos nós que passamos apressados por eles) e nas poucas horas de descanso lembramos-nos do que podíamos ter feito, do que ficou para trás, dos sonhos que não realizamos, das oportunidades que perdemos, das pessoas que nos magoaram ou magoamos... E por aí vamos perdendo outros preciosos minutos.
Quantas conquistas foram semeadas e deixadas perdidas, à míngua, no solo? Anos de sonhos, transformados em projetos que acabaram em meros rascunhos da idealização de uma vida. Daquilo que deveria ser a vida!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Estamos Prontos Para Seguir Adiante?

relogio Afinal o que nos prende a esse momento e tempo? O que nos liga tão fortemente às pessoas que parece nos impedir de dar o segundo passo?
Alguns me chamam de sonhadora, outros de filósofa, outros ainda de questionadora. Sim, posso dizer que sou tudo isso junto e misturado, e ainda me permito ser um pouco mais. Gosto de ser diferente e enxergar um pouco além do óbvio, mas isso não me descaracteriza, em hipótese alguma, como ser humano.
Somos todos confusos, donos de verdades, intolerantes, sofredores, sonhadores, lutadores e sobreviventes. Uma infinidade de adjetivos nos é

domingo, 24 de outubro de 2010

Quem Vê Cara, Não Vê Coração

Hoje eu escutei a velha frase (clichê) “quem vê cara, não vê coração”. Não pude deixar de achar graça. Parece-nos tão óbvio isso que nem paramos para pensar direito e vamos logo concordando: “é verdade!”.
Porém, hoje, com o meu olhar mais crítico, fico aqui pensando que o óbvio pode conter outras mensagens. Nas minhas aulas de ciências aprendi que para enxergarmos uma imagem, primeiramente a nossa visão a inverte até que a identificamos em sua verdadeira forma, não é isso? Então, vou fazer com essa frase a mesma “distorção” para tentar entendê-la em sua verdadeira forma.
A “cara” é o exposto... logo, a enxergamos. O coração, órgão vital, está bem protegido, escondido em nosso corpo. Logo, também não o vemos. Entretanto, coloco-me no seguinte ponto: Enxergamos, sim, o coração e o que não

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Ser Diferente Faz a Diferença!

Sou diferente, que bom!
Muitas pessoas buscam a unanimidade. Querem ser amadas, admiradas e queridas por todos! Gastam mais os seus esforços em causar boas impressões, mesmo que para isso tenham que violentar-se diariamente, do que em manterem uma personalidade própria e fazerem, deste modo, a verdadeira diferença.
Ainda não compreendo qual é o prazer em ser “perfeito”. Perfeição sob o olhar de quem? De uma sociedade que padroniza e rotula, que impõe e segue campanhas para o consumo, que veste “uniformes” e acredita que ser socialmente aceitável é residir nessa fábrica de sonhos e castelo de areia?
Tenho certa preocupação quando vejo a referência “formador de opinião”. Causa-me a sensação e, às vezes certeza, de que somos todos suscetíveis e necessitados de alguém que pense por nós. Inválidos e incapazes de exercermos nossas faculdades mentais.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Rose Nakamura - Uma Fênix na Terra do Sol Nascente

Hoje vou escrever sobre uma Fênix que fez um longo vôo e cruzou o oceano para mostrar a todos como se renasce das cinzas: Rose Nakamura.
Brasileira, nascida em Sorocaba, cidade do interior de São Paulo, Rose Nakamura mora no Japão há sete anos. Formada em jornalismo, tem como uma de suas paixões a fotografia, tendo, inclusive, um livro publicado “Templos Japoneses” com belíssimas exposições de fotos. A natureza lhe desperta uma atenção especial. Herança deixada por seu pai, que a ensinou sobre plantas e flores.
Após uma forte crise econômica que abalou o país, Rose Nakamura, desempregada, começou a escrever o livro “Caminhada – As Duas Faces de Uma Vida no Japão” onde conta, através de seu olhar e experiência, a vida e as dificuldades enfrentadas no Japão.
Rose Operária
 A vida, sem dúvida, nos surpreende a todo o momento, oferecendo momentos de alegrias, mas, também, de dificuldades. E para essa brasileira, cuja história comprova a sua garra e superação constante, não foi diferente. Viver em um país com fortes diferenças sociais e culturais, incluindo a dificuldade do idioma, exige muito mais do que disciplina e força de vontade. No livro, Rose mostra claramente esse impacto e conta sobre a vida operária e os

terça-feira, 19 de outubro de 2010

A Diferença de Ser Feliz

Estar feliz incomoda muita gente... Ser feliz incomoda muito mais!
Desde cedo acreditamos que a perfeição não existe e que, assim como ela, felicidade é algo subjetivo, que não tem um todo formado, mas partes (momentos) que nos remetem a essa sensação.
Vivemos, na maior parte do tempo, indagando onde mora a felicidade e quando seremos contemplados com a sua presença. Porém, o que se observa é que cada um dá a ela o seu significado, cada um busca a sua forma de ser feliz.
Muitas vezes somos felizes e numa escala de pequenas proporções, vamos colecionando momentos que nos demonstram a existência dela. Permanente ou passageira, a felicidade está na forma e no tempo que cada um a mantêm.

domingo, 17 de outubro de 2010

Quando a Nossa Verdade Não Basta

Vivemos cercados por mentiras e sofremos a pressão de sermos sinceros o tempo todo. Somos espionados e testados, onde alguém sempre estará no aguardo de um deslize para poder confrontar e expor em humilhação a nossa verdade diante de todos. Muitas vezes nos pegamos tentando explicar aos outros nossas atitudes e palavras. Sempre estaremos dando a nossa versão aos fatos. Somos flagrados em justificativas e, em alguns casos, até implorando para que acreditem que aquilo que dizemos é a verdade... A nossa verdade! Mas, e quando ela não basta? Quando precisamos recorrer a outros meios para provar que somos sinceros e verdadeiros?

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Meus Amigos, Suas Flores e Seus Perfumes

Confesso que pensei muito sobre o que eu iria escrever nesta minha 100ª postagem! Pensei em agradecer a todos que me incentivaram chegar até aqui e, ao meu modo, é o que farei.
Decidi escrever sobre a vida! Meu assunto preferido, que me leva às reflexões profundas, que promove encontros e desencontros, que me faz mergulhar em mistérios e, algumas vezes, abrir a grande cortina que insiste em cobrir esse grande espetáculo: VIDA!
Percorri, num breve regresso, por todos os caminhos que me trouxeram aqui, que me proporcionaram mais aprendizado. Fui muito mais aluna do que professora e isso me dá uma enorme satisfação. Não fosse por essa decisão de caminhar, talvez não encontrasse muitos daqueles que hoje encontro diariamente. Pessoas que me encantam e me ensinam com suas mensagens. Pessoas que compartilham suas experiências sem receios e que, através delas, me acrescentam conteúdo a essa bagagem.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Fechado Para Balanço

De vez em quando paramos para reavaliações. Como dizem no comércio: “fechado para balanço”. Nenhuma relação com tristeza como habitualmente pensam. Fechado para balanço é um momento ou período que revemos nossa trajetória e buscamos acertos. E por falar em acertos, me vem em mente uma das preocupações que comumente temos: estarmos certos sempre! Isso me levou a outra análise e é sobre isso que quero escrever hoje.
Recentemente li no blog O Que É Isso? , da minha querida amiga Eninha Campos, um texto que aborda o conceito da gentileza. Não aquela que oferecemos aos outros e sim a que deveríamos ter conosco e por vezes não temos. Na publicação “Você é Gentil? Consigo mesmo?”
automaticamente fazemos um mergulho interior e começamos a nos dar conta do quanto nos cobramos diariamente. Cobramos, punimos, não perdoamos as nossas próprias falhas. Tudo porque estamos sempre em busca da perfeição.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Superando os Obstáculos

Diante das adversidades da vida temos escolhas! Podemos escolher a forma como iremos encará-las e quais os caminhos que percorreremos para superá-las.
Por mais que estejamos seguros, as tempestades sempre surgirão, uma pedra poderá bloquear o caminho ou a nossa própria visão turvará, impedindo que reconheçamos a rota traçada. Faz parte dos desafios da vida!
A questão que gostaria de colocar aqui é como nos desvencilhamos desses contratempos? De que forma os superamos e não permitimos a derrota? Minha mãe sempre me dizia que, diante da vida, somos crianças aprendendo a dar os seus primeiros passos. Caímos com mais freqüência do que desejamos e as quedas são fundamentais para o nosso fortalecimento. A preocupação não deve jamais ser com a possibilidade de uma nova queda e sim com a forma como nos levantamos dela. Isso faz toda a diferença no modo como seguiremos adiante.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Somos O Que Falamos?

Tenho observado que uma das maiores contradições que vivemos é conseguir coerência entre o que dizemos e o modo como agimos. Será realmente que somos aquilo que falamos?
Não é de hoje que ouvimos que a teoria não corresponde necessariamente com a prática. Encarar a sinceridade não é fácil! Nem para quem escuta e muito menos para quem se depara em contradições nas auto-avaliações. Assusta-nos, principalmente quando ela grita na consciência que estamos agindo incoerentemente com aquilo que afirmamos ser. Obviamente há distinções entre o reconhecimento do certo e a sua prática. Verdades e mentiras podem ser sinceras?

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Batalha Interior

Já passei por grandes batalhas! Pareciam-me intermináveis e quanto mais eu buscava soluções, a sensação era que me desencontrava ainda mais. Vivi entre o céu e o inferno, em dúvida com a minha própria existência. Senti-me, por inúmeras vezes, deslocada e mal “instalada” neste mundo. À minha volta as pessoas eram estranhas e as coisas absurdas! Questionava-me constantemente se eu estaria no mundo certo ou se as pessoas é que caíam aqui de pára-quedas?
Um dos maiores desafios desta vida é podermos vencer as nossas próprias batalhas. E elas, quase sempre, são travadas em nosso interior, com a nossa consciência... A mesma consciência que nos impede de dormir, que fica de vigia

domingo, 26 de setembro de 2010

A Sabedoria da Vida

Sabedoria é grátis, mas é também a coisa mais cara que existe porque, na maioria das vezes, nós a adquirimos por meio das nossas falhas, desapontamentos e até mesmo dores. É esta a razão pela qual tentamos partilhar nossa sabedoria, de modo a que outras pessoas não paguem por ela o preço que nós já pagamos.
 Sem falsa modéstia, este talvez seja um dos melhores textos que já li na vida. Foi escrito por Lord Jonathan Sacks - que vive em Londres, Inglaterra publicado sob o título "Letters to the Next Generation". Fiz algumas adaptações agregando a minha visão pessoal sobre o assunto.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Você é Invejoso ou Invejado?

Diariamente somos alvos da inveja! Em alguns casos, invejamos e somos invejados. Ela não é infortúnio dos outros. Precisamos tomar muito cuidado, porque somos discretamente seduzidos e tentados por ela. Tal como Caim, as pessoas estão à procura de um Abel para invejarem. Em alguns casos até matam, mas na maior parte das vezes, os invejosos gastam toda a sua existência em busca de “armadilhas” para atraírem os seus alvos. Como explicar esse lamentável desvio humano?
O filósofo do pessimismo Schopenhauer define como natural e mesmo inevitável que o homem transfira a própria carência, contemplando o prazer e conquistas alheias. Para isto, cria um ódio contra àquela pessoa que ele julga possuir àquilo que ele próprio (invejoso) gostaria para si. Lança sobre o invejado a censura, o escárnio, zombaria e calúnia como consolo para a sua deficiência. Os invejosos usam como escudo, a tentativa de destruição (normalmente moral) de suas vítimas.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Para Falar de Amor…

Para falar de amor não é preciso mais do que sentimento. Sentimentos puros e honestos, que partem de nossa alma e atingem toda a extensão do nosso ser. Para falar de amor, basta ser um tanto humano, com uma dose de anjo; que bate as suas asas não para partir, mas para encontrar lugar seguro e apreciar a maravilha desse grande sentimento.
Não sou anjo, sou mulher. Procurei conhecimentos e não sei se os adquiri, talvez eu seja ainda uma nova programação, um novo modelo de um sistema inteligente, aguardando o implante de órgãos que me façam sentir além do necessário. Sou ainda um esboço, portanto, as minhas falhas são imensas. Sempre há o que consertar e aprimorar.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

A Moda Que Aprisiona

A pior prisão humana é aquela que está condicionada a mente. Vivemos cercados por conceitos e preconceitos, valores e regras, como se rotular fosse idéia original à disposição dos costumes e julgamentos. Libertar-se desse “vício” torna-se difícil tal como se conformar com uma velha roupa que não nos serve mais. O tempo passa e crescemos, mudamos ou simplesmente engordamos e, aquela roupa que outrora nos servia com perfeição, fica apertada, pequena e fora de moda. Esvaziar esse guarda-roupa e colocar de lado tudo o que não nos cabe mais, requer trabalho e desprendimento. Não reciclamos nossos hábitos se não pudermos inovar os pensamentos. Ficamos presos em paradigmas e somos levados aos veredictos como juízes soberanos da certeza absoluta.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Voar Alto

Eu consigo voar alto! Minhas asas possuem força e a ânsia em atingir a elevação me mantém aprumada. Isso não tem relação com ambição e também nada a ver com alpinismo social. Gosto de olhar as coisas do alto e com uma perspectiva diferenciada. Do alto ampliamos o nosso campo de visão e, mesmo que as coisas pareçam pequenos e indistinguíveis pontos, o panorama é imenso!
Organizar idéias, desenvolver o foco e acima de tudo abrir os horizontes! O foco é muito importante quando o raio se amplia. Aprimorar o poder de detalhar e identificar as minúcias. Todos nós, quando observados em minúcias, nos diferenciamos uns dos outros. Aí está a verdadeira complexidade da compreensão sobre as diferenças. 

domingo, 12 de setembro de 2010

O Que Não Mata, Engorda

Eu aprendi essa frase quando era pequena. Cresci e muitas vezes a usei como desculpa para justificar a gula e não perder o “resto”. Mesmo consciente da sujeira e do mal que poderia me causar, passava impunemente, como se estivesse protegida por um mantra poderoso! Que mal há? Afinal engorda, mas não mata. Posso conviver com isso!
Passado o tempo, percebo que vivemos ainda sob esse escudo. Engolimos muitas coisas, fechamos nossos olhos para a sujeira e ainda assim, justificamos que o mais importante é estarmos vivos! O que me assusta, hoje, não é o que mata; mas justamente o que engorda!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

A Cabala e as Mulheres – Por Gabriel Eigner

As mulheres cada vez mais conquistam o seu espaço. Mães, esposas, donas de casa; nos dias de hoje, não se intimidam e ganham postos de liderança em ambientes que outrora somente homens ocupavam. Uma mulher escrevendo sobre isso poderia parecer feminismo puro! Por essa razão, convidei meu grande e querido amigo, Gabriel Eigner, um empresário bem sucedido, mente brilhante e sensibilidade ímpar; para que escrevesse a sua visão sobre as mulheres e a razão de sua notoriedade. Entre os assuntos que conhece e estuda, Gabriel escolheu a Cabala para explicar o seu pensamento.
Aproveitando a ocasião desse ano novo judaico (Rosh Hashaná), gostaria de deixar para toda a comunidade um Shana Tová! Muita paz, saúde, amor e prosperidade.
UMA VISÃO CABALÍSTICA PARA COMPREENDER AS MULHERES BEM SUCEDIDAS

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Espelho…Decifra-me Se For Capaz!


Olhar-se no espelho pode representar muito mais do que a certificação da aparência. Nossos olhos conseguem ir além da imagem refletida. O espelho só ganha “vida” quando passamos a nos enxergar através dele. O que você busca no espelho e ao olhar-se o que encontra?
Narciso encontrou nas águas límpidas e cristalinas a sua perdição. Apaixonou-se pela própria imagem refletida e perdeu-se nela para sempre. Porém, o que antecede esse episódio é o que muitas pessoas passam. Amar a imagem refletida e não conseguir perceber o que está oculto. Somos muito mais do que simples aparência, pois nem sempre aparentamos quem de fato somos. 

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Tocando em Frente

  Estava dona de casaaqui em um dos meus momentos de reflexões! Acho que com a avançar da idade, eles estão se tornando mais freqüentes, e não sei porquê e nem de onde me surgiu na mente um trecho da música de Almir Sater, Tocando em Frente. Estava alucinada, cuidando da casa, dos filhos, comida, roupas e de repente uma frase ficou ecoando na minha cabeça: “Ando devagar porque já tive pressa...”. Pareceu-me mais um aviso do que uma lembrança musical. Uma chamada para que eu me aquietasse um pouco e desacelerasse o ritmo.
Muitas vezes não acreditamos em sinais ou simplesmente não os captamos como avisos. Passamos por cima, seguindo com a teimosia, mesmo sentindo o cansaço ou o pedido de cuidados. Simplesmente tocamos adiante como se fosse urgente qualquer medida, como se fôssemos nos perder no propósito que nem sequer sabemos qual é. Fiquei curiosa e fui ler a letra da música para ver se ela me daria mais “sinais” sobre o que eu mesma não sabia e encontrei esse trecho: “... Hoje me sinto mais forte, Mais feliz, quem sabe; Só levo a certeza de que muito pouco sei, Ou nada sei...”. 

domingo, 29 de agosto de 2010

O Sexo Vai Muito Bem, Obrigada!

  O mundo anda curioso, ou melhor, as pessoas são curiosas. Falar de amor não basta! Não tem tempero se não tiver a boa dose de sexo. Tenho recebido algumas perguntas e entre elas, quase sempre, sobre o sexo. Não para tirarem dúvidas (afinal nem sexóloga eu sou), mas para questionarem o porquê de eu nunca escrever sobre sexo! OK, para os curiosos de plantão, vamos lá!
O sexo pode ser “falado” de várias formas: como necessidade fisiológica, satisfação que leva ao prazer (nem sempre), meio de reprodução ou simplesmente como consumação de um sentimento; aí cabe a cada um “traduzir” e definir os seus motivos.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Novas Perspectivas

Você pode buscar conforto nas palavras de um amigo, de um ente querido, refúgio nas escrituras sagradas ou apenas contemplar a beleza majestosa da natureza. Você pode tudo o que quiser, desde que acredite e tenha fé que as suas incertezas encontrarão respostas naquilo que há de mais belo dentro do seu ser. Pode também encontrar somente pontos negativos, se assim a sua alma estiver vestida.
Não importa o que digam sobre você, a sua verdade tem que ser a sua maior crença e te guiar para onde você deseja. Muitos desistem no meio do caminho e paralisam-se diante do mistério da vida. Temem em avançar e fazerem descobertas indesejadas, porém não são capazes de pensar que do mesmo modo, podem fazer as melhores e mais valiosas descobertas acerca de si.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Plágio é Crime! Proibida a Cópia do Conteúdo desse Blog!!!